Viajando para o GP

GP da Holanda ao vivo: Turistando na F1

Ver o GP da Holanda ao vivo é entrar no mundo da Verstappenmania
Aquela overdose de Max para todos os lados. Foto: Julianne Cerasoli

Poucas vezes eu vi uma cidade abraçar a F1 como aconteceu em Zandvoort no retorno da Holanda ao calendário, em 2021. O único paralelo que conseguir fazer é com Suzuka. A diferença é que ver o GP da Holanda ao vivo também significa entrar na onda de festival de música eletrônica dos locais. É um evento 2 em 1: corrida e festa. Garantidos.

Compre ingresso para:

Na verdade, qualquer ingresso já está valendo, porque é muito difícil conseguir. Você tem que se inscrever com um ano de antecedência e torcer para ser sorteado. Este sorteio costuma ocorrer em dezembro, e você tem um prazo para efetuar a compra.

Os melhores ingressos são os das arquibancadas do miolo da pista. Isso porque há alguns aclives e a área do circuito é tão pequena que dá para ver mais do que em outras pistas. Interlagos também segue nesta linha, mas Zandvoort é ainda mais apertada. Estes ingressos custam pouco mais de 500 dólares. E o general admission sai por 250.

Hospede-se em: Amsterdã

A melhor (e linda) opção seria ficar em Haarlem, mas pode ser difícil encontrar acomodação. Aliás, hospedagem já é cara normalmente na Holanda, acompanhando o custo de vida por lá. E, em época de GP, o cenário se complica nas cidades mais próximas.

Mas dá para ir de trem tranquilamente de Amsterdam. Haarlem é a última parada deste trem, então é mais perto, mas ficar na capital não é um problema.

Haarlem é bonita e próxima de Zandvoort. Foto: Julianne Cerasoli

Vá de: transporte público

Eu poderia indicar ir de bike, já que há ciclovias por todos os cantos e é muito fácil alugar sua bicicleta por lá. Mas isso vai exigir uma boa prática, porque você vai andar em meio aos holandeses e eles não são principiantes.

Um aviso importante é que eles fecham a cidade para carros durante o evento. Só quem já está em Zandvoort na quarta-feira pode circular.

Não perca: o festival na praia

A praia de Zandvoort não é exatamente um paraíso para nós, brasileiros. A não ser que você seja da turma do kitesurf! Mas o projeto dos organizadores do GP da Holanda é transformar a corrida em um detalhe dentro de um grande evento, usando a praia para receber atrações musicais. O que, na Holanda, geralmente significa os melhores DJs do mundo.

Foto: Julianne Cerasoli

Combine com: são várias opções!

Assim como no GP da Bélgica, basicamente qualquer lado está valendo, e dá para fazer tudo por trem. A própria Holanda tem cidades muito interessantes, como Rotterdam e Den Haag. O bom de viajar por essa parte da Europa é que todo mundo fala inglês. O lado ruim é que definitivamente não é barato.

Quanto fica ver o GP da Holanda ao vivo?

A passagem para Amsterdã saindo de São Paulo no final de agosto sai por menos de 700 dólares e há voos diretos. O ingresso é mais 500 para pegar um bom lugar na arquibancada, e a hospedagem é mais salgada por lá, dificilmente menos que 350 dólares para todos os dias de evento.

Vale a pena ver o GP da Holanda ao vivo?

O circuito em si é bastante acanhado, o que limita um pouco a experiência. Mas os holandeses sabem fazer festa então, se essa é a sua, vale a pena tentar a sorte no sorteio do ingresso.

Um comentário em “GP da Holanda ao vivo: Turistando na F1”

Deixe uma resposta