Viajando para o GP

GP da Itália ao vivo: Turistando na F1

Não é preciso ser um tifoso para curtir o GP da Itália ao vivo. É claro que os torcedores da Ferrari vão se sentir mais à vontade, mas qualquer fã de Fórmula 1 que se preze tem aquela quedinha por Monza.

E trata-se de um dos GPs mais equilibrados em termos de preço, facilidade de acesso e atmosfera. Certamente uma boa opção dentre as provas europeias.

Compre ingresso para: Alta Velocità 6b

Já que é para ver um dos GPs mais tradicionais da temporada, que seja em um lugar onde muita coisa acontece: essa arquibancada é cara, quase 650 dólares, mas tem a visão da primeira chicane e, de quebra, fica logo à frente do velho oval.

Como também fica perto da reta, você não ficará muito para trás na hora da tradicional invasão de pista no final da corrida.

Há uma arquibancada próxima a esta com uma visão ainda melhor, mas o preço sobe para quase 900 dólares.

Foto: Julianne Cerasoli

Hospede-se em: Milão

Pode ser difícil encontrar hospedagem em Monza, então a solução de ficar em Milão dá mais flexibilidade em termos de preço e não complica muito a logística devido às opções especiais de transporte que são oferecidas.

Vá de: transporte público

Se a opção for mesmo ficar em Milão, as conexões de trem para Monza são frequentes e há um serviço de ônibus barato da estação até a pista.

Para quem optar por ficar ao norte de Monza (o lago Como, inclusive, é uma opção), pegue o trem que para em Biassono ou Buttafava, na linha S7. É uma caminhada dependendo de onde você vai ficar. Mas o que não é uma caminhada no enorme Parco di Monza?

Não perca: o velho oval de Monza

Especialmente sábado e domingo os seguranças tentam impedir que se ande nessa parte histórica da F-1, mas geralmente o que sobrou do velho oval é de livre acesso ao público, uma vez que o circuito está dentro de um parque municipal. Então tente ir um pouco antes ou um pouco depois da prova e me mande vídeos tentando subir até o topo da pista, por favor!

Combine com: lagos Garda, Maggiore ou Como

Esqueça a fria Milão e vá mais ao norte, perto da fronteira com a Suíça. Todos os três lagos são belíssimos. O Lago Como é o mais famoso até pela facilidade de se chegar por lá de trem de Milão (e de Monza também). Mas há quem diga que o Garda é o mais bonito…

Na verdade, em se tratando de Itália, vale a pena ir para qualquer direção. Tenho uma paixão especial por Florença, onde morei brevemente, mas não consigo descrever em palavras. É um lugar que vai ficando melhor quanto mais tempo você passa lá.

Ver o GP da Itália ao vivo é uma experiência e tanto
Foto: Julianne Cerasoli

Quanto fica ver o GP da Itália ao vivo?

Dá para encontrar passagens para Milão nesta época do ano saindo de São Paulo por menos de 650 dólares. Aliás, por algum motivo que não sei explicar muito bem, ao contrário de outros destinos na Europa, muitas vezes as passagens para a Itália estão mais baratas em agosto do que em setembro. Então vale a pena pesquisar com datas flexíveis.

O ingresso sai por 630 dólares. Há opções mais baratas e inclusive a possibilidade de simplesmente ter acesso ao parque e ouvir o barulho, vendo o GP por meio de telões). E em Milão há várias opções de hospedagem e dá para conseguir algo decente por cerca de 200 dólares para o GP.

Vale a pena ver o GP da Itália ao vivo?

Vale a pena ir em um GP na Europa de fácil acesso se compararmos com Bélgica, Áustria, França e Inglaterra, visitar um dos templos da F1, ver de perto uma torcida apaixonada e ainda comer bem?

Um comentário em “GP da Itália ao vivo: Turistando na F1”

Deixe uma resposta