Guias dos circuitos

Guia do GP da Áustria

A Fórmula 1 esteve no palco do GP da Áustria por mais vezes nos últimos dois meses do que em qualquer outro lugar do calendário. Talvez só tenha andado mais no Bahrein, devido aos testes de 2021 e 2022. Isso porque o Red Bull Ring (e o nome da pista ajuda a explicar o porquê) recebeu duas provas em 2020 e mais duas em 2021.

A pista não é das mais técnicas ou variadas. São poucas curvas, só uma delas mais lenta, dois um três pontos de freada mais fortes. Mas a questão da altitude e as zebras altas já causaram muita dor de cabeça para pilotos e equipes.

Além disso, as curvas que começam abertas e depois vão se fechando, em descida, cheias de cambagem, que ajudam os carros a saírem de frente, já causaram muito problema para a direção de pista e para os comissários.

GP da Áustria

Qual é o melhor acerto para a pista da Áustria

Com curvas de média velocidade e retas curtas, o Red Bull Ring é um circuito em que os carros são configurados com média carga aerodinâmica. Então carros cujo assoalho e difusor são mais eficientes podem usar menos asa para ganhar nas retas e, ainda assim, não serão penalizados.

Se for um GP, os carros e freios precisam de mais refrigeração, já que o circuito fica a 700m do nível do mar. Isso não é muito, mas é o suficiente para afetar o funcionamento dos carros da F1. Principalmente das unidades de potência, obrigando os turbos a trabalharem mais. Nos últimos anos, a Mercedes sofreu mais com isso do que a Honda.

Além disso, o asfalto é outro ponto importante: a superfície no Red Bull Ring é bastante lisa. Desta maneira, pode ser difícil colocar energia nos pneus, principalmente, nos dianteiros.

Essa dificuldade faz com que os times possam sobrecarregar os pneus traseiros para tentar fazer os dianteiros funcionarem. E o Red Bull Ring é um circuito rear-limited, ou seja, são os traseiros que se desgastam primeiro.

Ultrapassagens no GP da Áustria

A pista da Áustria é uma das melhores para se ultrapassar em toda a temporada. A freada mais forte da pista, na curva 3, é um ponto óbvio, com bastante espaço (que, de repente, acaba) no meio da curva.

No entanto, a melhor estratégia parece ser só ameaçar uma manobra na curva 3 e deixar o rival do lado de fora na entrada da 4. E completar a ultrapassagem ali. Também vimos tentativas na parte final da volta, mas não há tanto espaço e é mais arriscado ir parar na brita.

Sim, tem muita brita no Red Bull Ring.

Notas de Estratégia do GP da Áustria

De um lado, temos um asfalto liso e uma degradação baixa, indicando uma prova de apenas uma parada. De outro, temos uma pista em que é fácil ultrapassar, abrindo espaço para apostas diferentes.

Além disso, por volta de 75% dos GPs da Áustria têm Safety Car ou Safety Car Virtual. O mais interessante quando isso acontece é que, por ser uma pista muito curta, é bem possível que os estrategistas tenham que decidir muito rapidamente se chamam os pilotos para o box ou não.

A primeira corrida da Áustria de 2020 foi um exemplo disso: as duas Mercedes pararam juntas na volta 26 quando um SC caiu bem na janela que eles precisavam para trocar os macios pelos duros e irem até o fim. Mais tarde, quando outro SC neutralizou a prova na volta 51, eles deram azar de já terem passado pela entrada dos pits. Hamilton não parou e ficou exposto ao ataque de Alex Albon, que aproveitou o segundo SC para colocar pneus macios.

Ademais, trata-se de uma pista curta, então os carros ficam mais agrupados. E, na classificação, isso significa mais trânsito. Some-se a isso a dificuldade de se aquecer os pneus devido ao asfalto liso, e podemos ter pilotos largando fora de posição.

Como foi em 2021

O Red Bull Ring recebeu duas etapas ano passado, ambas vencidas por Max Verstappen, em seu melhor momento na temporada. Fazia muito calor na Áustria em julho de 2021, e a Red Bull conseguiu configurar o carro para colocar menos energia no pneu traseiro que a Mercedes, que sofreu com superaquecimento em ambas as prova.

Foram duas corridas em que a McLaren andou bem, com Lando Norris segurando Sergio Perez na primeira corrida e Hamilton na segunda. As três zonas de DRS, adotadas em 2020 e 2021, pareceram ajudar o time inglês.

Um comentário em “Guia do GP da Áustria”

  1. É mais uma corrida que promete luta não só pelo primeiro lugar.
    Curiosamente nas 6 últimas corridas disputadas no Red Bull Ring, deram 2 vitórias a Bottas, Verstappen e Hamilton. Vamos ver se algum deles vai desempatar, ou se temos um vencedor diferente.
    Uma coisa é certa. Este campeonato promete.

    cumprimentos

    visitem: https://estrelasf1.blogspot.com/

Deixe uma resposta