Viajando para o GP

GP de Singapura ao vivo: Turistando na F1

Já expliquei por aqui por que o GP de Singapura é meu favorito e se eu tivesse que fazer uma viagem bem legal e colocando a F1 no meio, eu começaria um tour pelo sudeste asiático por lá. Afinal, ver o GP de Singapura ao vivo é uma experiência que transcende a corrida em si.

O Sudoeste Asiático talvez não seja o melhor destino para quem gosta de luxo – mesmo em Singapura, um dos lugares mais desenvolvidos da região, você até pode pagar por hotéis fantásticos, mas se quiser explorar a cidade vai ter que sair do ar condicionado. Aí o glamour acaba na hora. Mas para os viajantes mesmo, a explosão de cultura e de sabores é um deleite.

Aliás, fiz uma lista também em 2017 separando os melhores GPs por tipo de experiência.

Foto: Julianne Cerasoli

Compre ingresso para: zonas 1-4

O GP de Singapura tem um esquema diferente de ingressos e, em termos de arquibancada, nenhuma se destaca por conta da visão limitada. A diferença é a experiência que você vai ter: o ingresso é dividido por zonas porque ele só dará acesso àquela(s) determinada(s).

Na zona 1, você fica na região da reta dos boxes e tem as melhores vistas da cidade, incluindo acesso à roda-gigante (paga à parte, mas vale a pena). E também aos shows (o palco principal fica na zona 1 e o Padang, na 4).

Hospede-se em: Singapura, perto do metrô

Pensando na praticidade de chegar à pista, qualquer lugar perto do metrô funciona em Singapura. Se quiser também aproveitar para ir às compras, fique nas proximidades da Orchard Street. Só um aviso: não é uma cidade barata.

Foto: Julianne Cerasoli

Vá de: metrô

O metrô de Singapura lhe deixa muito perto da pista e é extremamente fácil de usar. E ainda é um refúgio do calor úmido que castiga qualquer um e, dependendo da estação, a saída é em shoppings – e, mesmo que você não se empolgue com as compras, vai agradecer pelo ar condicionado.

Não perca: a comida

Experimente de tudo quando você estiver nessa parte do mundo. Seu conceito de “comida tailandesa” vai mudar, para melhor. Sim, a chance de ter uma indisposição estomacal no meio do caminho é grande, mas tem mais a ver com a água e a maneira como os alimentos são estocados do que qualquer coisa. Se comer uma pasta (que sacrilégio!) ou um prato local, vai dar na mesma. Então experimente!

Combine com: Vietnã

Ver o GP de Singapura ao vivo é uma das melhores experiências que a F1 oferece. Você nem vai lembrar que a corrida às vezes fica devendo

A opção mais óbvia pela localização de Singapura e pelo clima nessa época do ano seria Bali, e talvez entre os brasileiros o destino mais popular dessa região seja a Tailândia (ainda que o fim de setembro ainda seja bem chuvoso nas ilhas mais famosas do país). Mas ouçam o conselho de quem já rodou “um pouco” pela região: existe algo especial no povo, na comida e nas paisagens do Vietnã, especialmente uma cidadezinha chamada Hoi An.

Quanto fica ver o GP de Singapura ao vivo?

O gasto com a passagem – dá para pegar desde 1000 dólares até 1300 – geralmente é compensado com o custo de vida baixo no sudeste asiático, mas esse não é o caso de Singapura em si. Lá, vale a pena ir atrás de Airbnb para economizar e gastar menos de 300 dólares em hospedagem. Já o ingresso sai por pouco mais de 250 dólares (aqueles que eu indiquei costumam se esgotar cedo). Como a alimentação pode sair caro, calcule pelo menos mais 200 dólares em gastos. A boa notícia é que qualquer viagem pelas redondezas sai barato, inclusive os voos.

Vale a pena ver o GP de Singapura ao vivo?

Essa seria a cereja no bolo de uma viagem incrível a esta parte tão diferente para nós e tão inspiradora como o Sudoeste Asiático. É preciso ter tempo para rodar nessa parte do mundo e nem vale a pena se apressar. E é uma região tão barata que você vai economizar ao longo do caminho e vai conseguir curtir a beeem menos barata Singapura.

Deixe uma resposta