Viajando para o GP

GP do Japão ao vivo: Turistando na F1

Por que você gosta tanto do Japão? É uma pergunta difícil de responder. Talvez seja preciso ir até lá e o ver o GP do Japão ao vivo para entender como, o tempo todo, você tem a impressão de estar em outro planeta. Um pouco mais evoluído que o nosso.

O país asiático já é uma experiência à parte para todos os sentidos sem a corrida. Ir lá em época de GP é um extra importante porque a maneira como os japoneses curtem e respeitam a Fórmula 1 é única no calendário. É o fanzone em que eu faço questão de ir só para observar o comportamento da galera.

Digo que o GP de Singapura é meu favorito e Suzuka só perde porque a logística não é tão simples quanto pegar um metro e sair quase dentro da pista. Fora isso, para o fã de F1, Suzuka é um templo.

Compre ingresso para: B2

Na freada da primeira curva, por pouco menos de 250 dólares, lembrando que Japão tem sistema de “sexta-feira livre”, permitindo que você entre em qualquer uma das arquibancadas. Há ingressos bem baratos para crianças (27 dólares pelos três dias) e também existem partes das arquibancadas somente para mulheres.

Todo mundo sentado, claro, para que todos possam enxergar. Foto: Julianne Cerasoli

Hospede-se em: Nagoya

Não que haja qualquer coisa de especial sobre a cidade – na verdade, dia desses li que era a cidade mais chata do Japão! Mas, realisticamente, será o único lugar em que vai encontrar hospedagem na época do GP, e pelo menos o acesso é fácil para a pista. Ah, e você não vai ficar com saudado do Brasil por lá, a comunidade brasileira é enorme e até tem missa em português!

Vá de: trem + ônibus

O caminho menos confuso para não-iniciados no sistema japonês é usar a linha Kintetsu até Shiroko e, de lá, pegar as vans que vão para o circuito. Trata-se da maior cidade das redondezas, e os organizadores colocam placas em inglês para orientar o público nesta estação.

Menções a Senna por todo o canto. Foto Julianne Cerasoli

Não perca: a fanzone

É a única fanzone na qual nós, jornalistas, fazemos questão de ir durante o ano. A criatividade das fantasias dos japoneses e a paixão deles pela F1 são simplesmente incríveis.

Combine com: Tóquio e Kyoto

Voltando no tempo em Kyoto. Foto Julianne Cerasoli

Com essas duas cidades você tem uma ideia de como era o Japão milenar na belíssima velha capital e o que o país se tornou agora. Só tome cuidado com Tóquio se você é sensível a muitos letreiros neon e música alta! Claro que é um país maravilhoso e dá vontade de se perder por meses por lá, mas alerto que isso sairia bem caro…

Quanto fica ver o GP do Japão ao vivo?

Ficando alerta às promoções, dá para pagar menos de 1000 dólares por uma passagem para o Japão. A hospedagem em Nagoya sairia por cerca de 200 e o ingresso, 230. Comer por lá é uma delícia, mas é caro, então é preciso colocar isso na conta. Os trens, eventuais táxis… nada será barato. O visto de turista custa 150 reais.

Vale a pena ver o GP do Japão ao vivo?

É algo que exige bastante planejamento porque não é uma viagem barata, é preciso visto, e não é fácil conseguir ingressos. Mas o Japão é um país incrível de ser explorado, e o GP é um prato cheio especialmente para os fãs de Ayrton Senna.

Deixe uma resposta