O barato pode sair caro para a Williams

Circula há algumas semanas a história de que Pastor Maldonado possa tirar Nico Hulkenberg da Williams. Há até quem tenha confirmado a troca. O venezuelano traria seus petrodólares para desafogar a equipe inglesa, que estaria com dificuldades para renovar seus contratos de patrocínio.

Mas quantos milhões um piloto precisa levar a um time do tamanho da Williams para ser útil?

O primeiro ponto é: por que substituir Hulkenberg? O alemão tem um dos  melhores currículos da F1 e evoluiu bastante dentro de seu ano de estreia. Se não foi brilhante, não deve nada a outros que estrearam desde a diminuição dos testes.

Por outro lado, temos Maldonado, que levou 4 anos para ser campeão da GP2. No 1º, foi 11º, atrás de nomes como Glock, Di Grassi, Pantano, Filippi, Nakajima e Senna. No 2º, terminou atrás de Pantano, Senna, Di Grassi e Grosjean. No 3º, perdeu para os mesmos 4 mais Petrov e o próprio Hulkenberg. Alguém duvida que haja um abismo entre ele e o alemão?

É lógico que, com o dinheiro, tudo muda de figura. E aí entra a matemática. Um piloto como Maldonado, conhecido pela impetuosidade, certamente dará prejuízos à “oficina mecânica” da Williams, além de não conquistar os pontos importantes para melhorar a posição da equipe no mundial de construtores. Em outras palavras, vai custar caro.

Um pode dizer que Hulk não tem sido exatamente uma fonte de pontos para o time. Tem 17, menos da metade de Barrichello, mas não há motivos para não acreditar que Hulk melhore o desempenho com um ano de experiência, já que conseguiu 15 desses pontos nas últimas 5 provas.

Cabe à equipe fazer as contas. Será que, quando Barrichello se aposentar, em 1 ou 2 anos, eles não vão precisar contratar um piloto de peso – e caro – para liderar o time? O que parece um bom negócio logo de cara, pode custar mais alguns anos de fila à Williams.

2 comentários sobre “O barato pode sair caro para a Williams

  1. De facto, é um ponto interessante que deixas, embora ache que este ano, o Maldonado até cresceu em termos automobilisticos. Não bateu tanto, ganhou mais corridas… mas o facto dele ter uma grande conta bancária por trás, não pode ser deixado de lado.

    Veremos. Ainda não há anuncio oficial do acordo, até lá está tudo no campo especulativo.

    Em termos gerais… Descobri o blog agora e até estou admirado. Não é fácil (embora comece a ser frequente) ver mulheres a escreverem sobre automobilismo. E acredita, este veterano já não se surpreende assim tão facilmente!

    Um beijo, e vou colocar o teu endereço no meu blogroll, para te seguir. Até à próxima!

    Curtir

    1. Eles sabem o tamanho do rombo – e se ele realmente existe – no orçamento e sabem quais são suas possibilidades de cobri-lo. Mas é uma conta complicada de fazer a longo prazo.

      Bom, sobre ser mulher escrevendo sobre automobilismo, assisto F1 desde criança, assim como qualquer homem. A única diferença, talvez, é que sempre quis ser Ron Dennis, e não Ayrton Senna! Obrigada pela visita e volte sempre.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s