GP do Brasil por brasileiros, britânicos e espanhóis: “Drama em Interlagos”

A garoa que começou a cair minutos antes da largada para a decisão do campeonato era o prenúncio de um final histórico para um campeonato igualmente marcante. Prevendo que a água continuaria caindo e até chegando a imaginar um início com Safety Car, o destaque na Globo era para a pimenta que a chuva colocava na prova. “Era tudo o que Alonso queria. Pode ser até melhor para o Alonso do que uma chuva constante. Pode complicar para o Vettel e também para o Hamilton na pole”, prevê Reginaldo Leme.

Mas a água sequer é suficiente para obrigar os pilotos a largar com os pneus intermediários e Gary Anderson, na BBC, acha “que vai continuar seco”, pois não vê “as nuvens piorando”.

Os ex-pilotos e comentaristas David Coulthard e Marc Gené se focam na dificuldade em estar no cockpit em um momento como esse. “Acredito que todos largam com pneus de seco, porque seria arriscar demais e o tempo de parada é curto. O que me preocupa é a avaliação de aderência na primeira curva. Esses pingos tiram a confiança. Não poderia ser uma corrida mais complicada para os postulantes ao título. É muito fácil cometer um erro”, avalia o espanhol. “Os pneus não vão estar tão aquecidos – até porque é um circuito curto, sem muitos lugares para aquecer os pneus – e você chega na curva sem saber qual a aderência. É uma condição em que a pole não é uma posição muito boa. É de se esperar uma primeira volta difícil”, lembra o escocês.

Antes das luzes vermelhas se apagarem, o narrador espanhol Antonio Lobato dá o tom, após narrar um vídeo com homenagem prévia a Alonso, não importando o resultado da prova. “Não sei como estão vocês, mas a tensão é máxima.”

E ela só aumenta na largada. “Vettel lento, olha Massa, já em segundo! Oh, temos uma corrida em nossas mãos”, narra Ben Edwards, na BBC.  “Sobrou para Sebastian Vettel! Vamos olhar com cuidado onde foi. Ele vai ser obrigado a fazer uma corrida de recuperação”, diz Galvão Bueno, enquanto o narrador inglês chama a atenção para o “drama no Brasil”, pois “Vettel foi acertado e ainda não sabemos quanto estrago ele teve.”

Os espanhóis, logo nos primeiros metros, destacam que Vettel está “muito cuidadoso” e lembram da largada de Lewis Hamilton justamente na decisão de 2007. Mas, enquanto o inglês apenas escapou na Curva do Sol, o alemão vê o grid inteiro passar raspando em sua Red Bull. “Vettel rodou, está vendo todo mundo ao contrário! Olha que pode ter Safety Car”, avisa Lobato. “Se tiver Safety Car, será muita sorte. O assoalho está danificado, mas não muito”, Gené quase lamenta.

No momento em que Lobato pede calma a Alonso, já que Vettel “deve estar fora da corrida”, o espanhol faz uma ultrapassagem dupla sobre Webber e Massa e o narrador vai à loucura. “Não acredito! Espetacular, Fernando!”

Para britânicos e brasileiros, no entanto, a manobra gera menos comoção. “Que trabalho Massa fez para ajudar Alonso”, destaca Edwards. A preocupação é com a situação do título de Vettel. “Falta muita corrida, mas parece que o futuro do campeonato depende de Webber”, aposta Coulthard. Porém, vendo o replay da largada, Gené observa que “Webber não fez nenhum favor a Vettel” nos primeiros metros e Coulthard define ironicamente a batida de Vettel e Senna. “Senna foi pelo lado de dentro esperando que a Red Bulll desaparecesse, mas isso não aconteceu.”

Ainda que Galvão veja “a famosa sorte de Alonso” nas largadas, Lobato considera “um milagre que Vettel esteja na pista. Senna bateu e arrematou depois”. É a mesma linha de Luciano Burti, para quem “a pancada foi muito forte. Se conseguir ir até o final, vai ser um milagre.”

O comentarista salienta a dificuldade em decidir qual o melhor pneu quando a chuva aperta, mas não o suficiente para tornar simples a escolha pelos intermediários. “Essa é a parte mais decisiva e tensa para pilotos e equipes porque, se apertar um pouco mais, você coloca intermediários ou espera para ver se a chuva para?”

Depois de reconhecer o trabalho de Massa para proteger Alonso “até que o rendimento de seu carro melhore”, Lobato diz que Vettel só decidiu entrar nos pits “para copiar” o espanhol. “Não pode ficar na pista tentando algo diferente.”

Duas voltas depois, contudo, Jenson Button diz pelo rádio que parou de chover. “Eu estou vendo chuva”, retruca Lobato, mas Coulthard lembra que o inglês “é o mestre neste tipo de situação”. Logo depois, Anderson surge do pitlane para opinar que ficar na pista “pode ser a decisão certa.”

Os brasileiros, por sua vez, apostam que a água não vai parar de cair. “A vovó do Rubinho sempre está certa. A chuva nunca vem do aeroporto”, lembra Galvão. “Acho que essa história é mundialmente conhecida porque o Adrian Newey veio me perguntar no grid o que minha vó achava”, completa o próprio Barrichello, em tarde de comentarista da Globo. Seus colegas de cabine, Burti e Reginaldo, não entram em acordo: o primeiro vê tempos melhores de quem está com os slicks, e o segundo acredita que, pelo spray levantado, não dá para seguir sem pneus de chuva.

Gené observa que “a pista muda a cada volta. Mas, se ficar assim, o pneu intermediário vai acabar mais cedo” e os espanhóis começam a se desesperar. “Precisamos que aconteça alguma coisa. Fernando está em quarto, a 17s do terceiro. Assim, não seremos campeões nunca. Mas não se rendam. Tudo ainda é possível.”

Nem mesmo a informação da repórter Nira Juanco de que “estão me dizendo que viram, na Sky, uma ultrapassagem de Vettel em bandeira amarela. Estão analisando lá”, anima o narrador, para quem “não é a Sky que tem de analisar, são os comissários. E não apareceu nada ainda.”

Quando veem Webber abrindo para Vettel, apenas são irônicos. “O que o Webber falou outro dia na coletiva de imprensa”, diz Lobato. A manobra também é notada por Reginaldo. “Isso com todo o discurso do Webber de que não ia abrir para ninguém.”

Logo antes do Safety Car entrar, os espanhóis vão para o comercial. “Fernando estava reclamando via rádio, mas estava claro que havia muitos destroços. Agora, sua diferença com os líderes diminui muito, mas também Vettel fica mais perto da ponta”, resume Lobato.

Quando o espanhol pediu a intervenção, Edwards riu. “Ele não está inventando, podemos ver isso com nossos olhos”, diz Coulthard.

Na Globo, Galvão pedia os conselhos de Barrichello, famoso pelas boas decisões na chuva, sobre o que fazer, pois a pista parecia secar. “Geralmente, é a equipe que te chama para mudar de pneu de chuva para seco. Quando é o contrário, você é quem decide”. Quando ouve as reclamações de Alonso, o narrador pede que “entre alguém para dar um chute naquilo ali”.

O Safety Car ajuda narradores e comentaristas a dar uma respirada depois de tanta ação nas primeiras voltas. Dá até para analisar o estrago no carro de Vettel. “Seria um problema se tivesse pegado no radiador, mas está bem longe. Deve ter uma perda de performance, mas em torno de um ou dois décimos”, acredita Anderson.

Já Gené chama a atenção ao fato de que “Não ouvimos a Ferrari tranquilizando Fernando pelo rádio, ao contrário do que está acontecendo com Vettel. Ele que avisa a equipe para que estejam preparados. A maturidade está fazendo diferença. Vettel se recuperou muito bem, mas na largada deu para perceber que não estava acostumado a essa posição, como Fernando está” e Lobato destaca a corrida de Hulkenberg ainda que “a ponta não interesse”.

Na relargada, quem rouba a cena é Kobayashi, com quem, para Coulthard, Vettel precisa ter cuidado porque ele está lutando por sua carreira”. Reginaldo também cita o fato de que o japonês pode ficar fora do grid mesmo com boas atuações. “Também, chegam com caminhão de dinheiro que até o Rubinho tá apontando aqui que não tem lugar para ele”, explica Galvão.

Burti acha que a Ferrari vai ter de trocar o pneu de novo por estar com médios. “Eles deveriam estar andando mais rápido agora, mas não estão”. Essa também é a preocupação de Gené, que não sabe dizer se quem está com os duros parará de novo. Para os britânicos, a grande questão é a chuva. “O irmão do Massa estava esperando algum sol, veio de bermuda. Nem os locais conseguem entender esse clima”, brinca Coulthard. Quando Edwards vê Hulkenberg escapando e perdendo a liderança para Hamilton, conclui que os pilotos “precisam colocar um jogo de pneus novos agora, mas se pararem, a chuva pode vir e eles terão de parar de novo!”

Assim, os britânicos se surpreendem quando Vettel coloca pneus de seco. “É uma decisão corajosa da Red Bull. Eu só seguiria o que Alonso fizesse. Pelo lado da Ferrari, eles teriam de tentar algo diferente, mas não sei o que.”

Galvão acredita que colocar pneus de seco é o menos arriscado, mas Burti discorda e segue na linha de Coulthard. “Eu acho que ele até está arriscando porque se chove mais vai ter de voltar. Esperaria até ver a decisão que o Alonso toma.”

Os espanhóis também acreditam que vai ficar seco, mesmo que estejam rezando para que chova. E muito. “O positivo é que Alonso está mais rápido que Vettel, mas o negativo é que os ponteiros estão escapando. Na posição em que ele está agora, Fernando precisaria ganhar a corrida. Quem não estava convidado é Hulkenberg, que está atrapalhando Fernando”, resume Gené. “Hulkenberg está fazendo a corrida de sua vida. Precisamos de alguma outra coisa. Onde está a chuva que prometeram?”, Lobato se desespera. “Vamos ao comercial e espero que, quando voltarmos, a chuva esteja caindo sobre nós. Essa meteorologia diz que está chovendo quando caem quatro gotas. Precisamos de muito mais do que quatro gotas.”

O narrador chega a comemorar timidamente os problemas de rádio de Vettel, “mas precisaríamos que ele tivesse problemas maiores”. Quando Rosberg é o primeiro a parar para colocar pneus intermediários, Lobato chama a estratégia de “suicida”.

As elucubrações são interrompidas pela excursão de Kimi Raikkonen no traçado antigo de Interlagos. “Para onde Kimi está indo? Deve ser para algum outro lugar em SP. Que passeio!”, ri Edwards. “Dá para ver que ele veio do rali”, observa Coulthard quando vê o finlandês voltando pela grama. “Raikkonen está perdido! Deve ter pensado ‘não conheço essa curva, onde será que eu estou?’”, brinca Lobato, enquanto Barrichello destaca o cavalinho de pau “heroico” do piloto da Lotus.

Momentos depois, em disputa pela liderança, Hulkenberg espalha e tira Hamilton da corrida – ou, para Lobato e Galvão, tira ambos. “Ele estava do lado molhado, foi pelo lado de dentro porque tinha esse direito, mas perdeu o carro”, Coulthard isenta o alemão de culpa, assim como Barrichello.

Após a terceira parada de Vettel, o comentarista espanhol Jacobo Vega começou uma campanha para que Alonso aguentasse na pista para “ficar com estratégia contrária à do rival”. Porém, quando vê o espanhol quase perdendo o carro, muda de ideia. “Por Deus, por Deus! Estamos no limite da aderência!”, berra Lobato.

O piloto troca os pneus e volta atrás de Massa, mas, para Lobato, “isso não é um problema. Assim como Webber não seria um problema para Vettel.”

Os brasileiros se alarmam quando Vettel volta para os boxes para colocar intermediários. “Bateu o desespero na Red Bull”, aponta Galvão. “O erro estratégico que custou o campeonato de Alonso em 2010 pode ter acontecido com o Vettel”, completa Reginaldo.

Galvão decreta: “Acabou a calma do Vettel”. E os brasileiros fazem as contas do que Vettel precisa para ser campeão. “São dois alemães à frente, se houvesse patriotismo…”, diz Reginaldo. Já Burti lembra que, se for necessário, Webber encosta. “Não é só na Ferrari que tem jogo de equipe”. Enquanto isso, os britânicos por várias vezes lembram que o carro de Vettel tem danos, mas que não sabem a extensão deles.

Porém, nenhuma tentativa de colocar emoção nas voltas finais vinga e Vettel se sagra tricampeão por três pontos. “Alonso mais uma vez pilotou muito bem e quase fez o que precisava fazer. Vettel também foi muito bem. Esses caras estão sob uma pressão tão grande! Mesmo sendo um pouco atrapalhado hoje, Vettel conseguiu se recuperar bem. Seja quem ganhasse o campeonato nesta tarde, merecia. Alonso pilotou muito bem, Hamilton merecia muito mais, Button mais uma vez mostrou que é sensacional nestas condições… muita coisa aconteceu neste ano”, resumiu Coulthard.

Galvão Bueno não esqueceu do vencedor Button. “Anote o nome dele para o ano que vem. Não tem Hamilton e eles vão trabalhar só para ele e a equipe vem em grande fase”. Sobre o título, frisou que “Alonso é grande guerreiro. Lutou o ano inteiro com o carro e chegou em segundo em circunstâncias terríveis hoje”. Mas o grande destaque foi para Massa, que “mostrou sua recuperação na segunda parte do ano, se preparando para ano que vem” e chorou no pódio “mais do que quando acordou no hospital. Não é de chorar. Para ele chorar assim, mostra a importância desse momento de recuperação.”

Assim como os brasileiros, Lobato também valorizou seu compatriota. “Mesmo que não seja campeão, Fernando tem de ter certeza de que estamos todos orgulhosos do que ele fez. Essas são corridas de carros, e isso dilui um pouco o talento. Muito obrigado por tudo, Fernando. Não podemos esquecer que foi um milagre chegar aqui e que estamos todos agradecidos por Fernando nunca ter se rendido até a última corrida. Não fique tão sério, porque quando o carro melhorar, você vai passar por cima deles. Chegará esse momento. Ele lutou com armas menos potentes do que seus rivais, mas os colocou nas cordas até o final.”

E, se Interlagos “resumiu o ano com seus dramas”, como explicou Edwards, “Vettel sobreviveu a tudo nesta tarde para ser tricampeão. Alonso não poderia fazer muito mais”. Um belo desenho de uma final que nenhum roteirista poderia reproduzir.

23 comentários sobre “GP do Brasil por brasileiros, britânicos e espanhóis: “Drama em Interlagos”

  1. Parabéns pelo ando destes resumos dos 3 narradores. Acompanhei todos!!!!
    Se me permite eu repaei uma coisa: os espanhois coseguem ser piores que os narradores da emissora brasileira. Uma pena porque eles tem achance de fazer com que o país dele passe a gostarde automobilismo e F1 e estao comentendo o mesmo erro que a globo teve. Nao estao ensinando corridas e sim para torcer apenas para o piloto local.
    Uma pena mesmo porque esse tal de Lobato chega a ser irritante tanto quanto o Galvao.
    Bom fim de ano para voce e continue fazendo esse trabalho espetacular, junto com i Ico e tantos mais do Totalrace que para mim já é referencia ha muito tempo e hoje, noticia sobre f1 se nao é confirmada por voces, nao tomo como verdade!
    Saludos de Buenos Aires

    Curtir

    1. Agradeço pelas palavras em nome da equipe, Cassiano. É nessa credibilidade, que anda meio esquecida, que apostamos.
      Conversando com os membros da equipe da Antena 3, vejo que eles têm noção disso. O que eles tentam fazer é “educar” seu público a gostar de F-1 com ou sem Alonso no programa antes da prova, de duração geralmente de 1h, em que apresentam mais matérias técnicas e de curiosidades gerais. Na transmissão da corrida em si, julgam que falam para uma audiência mais ampla, somando quem assistiu ao programa prévio a quem só quer torcer para Alonso. Veremos daqui a alguns anos se vai funcionar.

      Curtir

      1. Bom, se é assim, com esse programa prévio, acho que o pessoal da antena 3 está em um caminho mais certo que o que a globo trilhou até ano passado.

        Mas mesmo assim a turma ainda exagera um pouco no pachequismo espanhol… hehehe

        Curtir

      2. De nada Julianne. no Total race e todos os blogs nos sentimos como que se fossemos amigos. voceis intergam conosco e isso da uma proximidade fabulosa.
        Que bom que fazem um trabalho diferente do que tivemos no Brasil quem sabe lá os espanhois se apaixonem por esse esporte que é tao fascinante como o futebol! Nao tenho time de futebol, mas tenho equipe de F1 hehe
        Abraços. Sigo acompanhado todos daqui do totalrace!

        Curtir

  2. Muito bom, muito bom mesmo!!!Sensacional o modo como os espanhóis ficaram esperando que tudo o que acontecesse fosse a favor de Alonso, os caras narram e torcem na cara mesmo! Mais louco ainda foi o Lobato dizer ” (…)porque quando o carro melhorar, você vai passar por cima deles.” E faço das palavras do Cassiano as minhas sobre a descrição dos GP´s, sobre o empenho da equipe da TotalRace em trazer o melhor das informações. Sucesso a todos vocês e que venha 2013!

    Curtir

  3. Oi Ju

    Adoro esse post, sempre espero por ele após cada prova.
    Ano que vem você poderia acrescentar o relato da corrida da TV alemã…kkk… Gostaria de saber como é a transmissão dos tedesco.
    Bem, o problema é o idioma, não é? Ache um teudo-brasileiro para fazer isso por nós.

    Curtir

      1. Olha, o da Alemanha nao sei como é, mas iriam se divertir com a narração do povo do Mexico. O que os caras puxam pro lado do Maldanado e do Perez nao esta no gibi. É cada gargalhada que solto as vezes… alias a ultima do gp do Brasil como tira-gosto:
        ” Pastor fez uma grande largada e faz uma grande corrida” em seguida, mas logo em seguida MESMO, o maldanado encheu o muro! so nao ri na hora por que torço para a Williams! mas é piadas deste nivel que eles falam!

        Curtir

  4. Porém, vendo o replay da largada, Gené observa que “Webber não fez nenhum favor a Vettel”

    Pensei que só eu tinha percebido isso!

    Sobre a narração do Lobato(que me fez mudar de idéia quanto a Galvão ser o maior “mala” do planeta), nos sites do Marca e AS, torcedores espanhóis menos “pachecos” tavam tirando a maior onda com o Lobato. 😀

    Curtir

  5. Ju… Ano fantástico para você e para o Total Race. Se estamos carentes de pilotos que possam estar brigando pela ponta, pelo menos temos um lugar que respeita o leitor e passa informação, tirando aquela casca de nacionalismo barato e apenas para vender propagandas. Aqui lê-se a notícia. Se é boa ou ruim para a ou b, não diz respeito aos jornalistas.

    E além disso, o que eu mais priorizo, acima até mesmo dessa credibilidade, é o espaço para troca de opiniões. Isso é realmente fantástico. Nada mais poderia ser melhor. Tive discussões maravilhosas esse ano, aprendi muito com os colegas leitores e é sempre um privilégio aprender com vocês jornalistas. Parabéns pelo site como um todo e em especial ao Ico e a você e desejo que esse sucesso e esse destaque que vocês tem com os leitores permaneça, tal qual sei que permanecerá em evidência o talento de vocês. Obrigado e parabéns.

    Curtir

    1. Mandou bem, Américo. Desta vez estou concordando em tudo com você e também faço minhas as suas palavras sobre o Blog da Julianne e o TotalRace. Aqui só tem “feras” comentando e os debates todos são feitos APENAS com bem embasados argumentos, o que nos possibilita ver aspectos que às vezes, no calor da torcida, não percebemos. Debates alinhando razões e – principalmente – a competência mais a imparcialidade da nossa querida blogueira fazem a diferença! Pelo seu altíssimo nível, este blog e o site se impõem como leitura obrigatória para todos os que amam o automobilismo.

      Curtir

  6. Hehe, Lobato chega a ser ridículo….Torcer, tudo bem, mas fanatismo é chato pra burro!!! Acho que o tom torcedor de carteirinha não combina com a disputa. Ju, me lembro que Massa até certo ponto, seguiu na pista molhada à Hulkenberg e Button, mas ficou a dúvida onde o brasileiro perdeu o contato!? Seria a falta de rendimento da Ferrari, pois na largada o brasileiro tinha se posicionado bem…

    Curtir

    1. O ritmo dele com pneus de seco quando começou a pista molhar mais era bem inferior a Button e Hulkenberg. Com isso, perdeu contato e foi obrigado a parar poucas voltas antes de sair o SC.

      Curtir

      1. Eu estava acompanhando a corrida também na cronometragem da FIA…e realmente ele tinha um ritmo mais lento naquele momento do que Button, Hulkemberg e os demais que estavam com intermediários. Não sei se foi o acerto da Ferrari, mas ele realmente precisava parar.

        Curtir

  7. Oi, Julianne, o quanto à situação da quebra do lacre do câmbio do Massa em Austin? Sabe o que foi dito na Antena 3? No mais, concordo: deve ser muito chato trabalhar com esse Lobato.

    Curtir

    1. Não assisti, mas eles costumam lidar com naturalidade com essas coisas. Em sua abordagem, é como se fosse necessário pela incapacidade da Ferrari fazer um carro melhor, uma compensação.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.