Conflitos

O script não poderia ser melhor: Ferrari e Mercedes tiveram problemas com o undercut invertendo a posição de seus pilotos, um dos piores cenários para uma equipe, e não poderiam ter lidado de forma mais diferente em relação a isso. Na Mercedes, depois do time ter optado por deixar Lewis Hamilton mais tempo na pista, apostando que os pneus dos rivais acabariam no final, Valtteri Bottas foi instruído a tirar o pé para evitar que o inglês voltasse atrás dele e minimizasse os danos do que provou ser um erro estratégico. A instrução foi atendida porque a Mercedes tem uma regra interna que impede que um piloto ultrapasse o outro numa situação de undercut.

Na Ferrari, exatamente o contrário aconteceu. Quando a Ferrari viu a Red Bull preparada e sabia que a lacuna na pista estava aberta para parar e voltar fora do trânsito, imediatamente chamou Sebastian Vettel para os boxes, na volta 19, para cobrir um bastante provável undercut da Red Bull. Afinal, Verstappen estava a apenas 2s do alemão e o ritmo de Charles Leclerc na ponta era propositalmente lento para que o pelotão ficasse junto, inibindo a tentatava de undercut da Mercedes em cima da Ferrari – ou seja, o plano era gerar trânsito para que o undercut não fosse eficaz.

Nesse momento, Vettel estava a 3s5 do líder Leclerc e a Ferrari simplesmente não imaginou que ele seria uma ameaça para o companheiro. Mas certamente não ajudou o fato de Leclerc não ter sido avisado que o alemão tinha parado, ou seja, ele continuou adotando a tática de compactar o pelotão no momento em que tinha de forçar o ritmo e se defender do undercut.

Por um lado, foi um erro da Ferrari, que eles estudaram reverter, pedindo a inversão de posições, mas a opção foi por não interferir e focar em garantir a dobradinha da equipe. Essa era a prioridade e, se Vettel não tivesse sido chamado naquele momento, certamente a dobradinha não aconteceria. Mas que foi tudo meio atrapalhado, e por motivos diferentes, na Mercedes e na Ferrari, isso foi.

Mas também foi importante para Sebastian Vettel. Ele gosta de Singapura, e agora gosta mais do carro, que está evoluindo e ficando mais previsível de se pilotar. A série de peças novas que eles começaram a trazer ainda em junho parece ter se encaixado, e isso explica por que eles não perderam tanto nas curvas em Singapura como nas corridas anteriores, ainda que Mattia Binotto tenha lembrado que os compostos mais macios funcionam melhor no carro italiano.

Voltando a Vettel, será interessante ver se a fase, agora, vai embora, até porque ele teve lampejos do velho Seb nos últimos dois anos, mesclados com apagões. Certamente não o ajuda ter ao seu lado um Leclerc mordido. 

Já nós não temos o que reclamar. A temporada parece o carro da Ferrari, ganhou vida, e vamos para a Rússia, que geralmente é território Mercedes, com mais dúvidas do que certezas. 

10 comentários Adicione o seu

  1. speeder76 disse:

    Interesante. A parte chata é que o campeonato… está decidido. A Mercedes ganhou as oito primeiras corridas do ano, e tem 10 triunfos em 15. De uma certa forma, o que tem de fazer é gerir e esolher o lugar o lugar para a festa de ambos os campeonatos.

    Agora, que o campeonato está a ficar interessante, está. Basta pensar que em junho, muitos acreditavam que a Mercedes poderia ganhar todas as corridas do ano.

    Curtido por 1 pessoa

  2. Robson Coimbra disse:

    Achei que Leclerc deu pit desnecessário ou melhor exagerado, o cara chegou agora e já quer sentar na janelinha ? O fato é com atrapalhação da Ferrari e da Mercedes o Vettel foi o mais “esperto”, o mais eficaz !

    Curtido por 1 pessoa

  3. Alfredo Aguiar disse:

    Pra quem não fez o combinado na classificação da corrida anterior, o menininho doce de Mônaco, estava bastante irritado.

    Curtido por 2 pessoas

  4. Renan disse:

    Muito interessante a corrida de hoje.
    A Ferrari com toda certeza não imaginou que o Vettel iria ameaçar a liderança do Leclerc parando uma volta antes. Ainda mais que a parada do monegasco foi 0.6 mais rápida que a do alemão e ele estava 3.5 seg a frente.
    Mas o Leclerc foi muito lento na volta e mesmo dentro dos pits.
    A Ferrari se viu em um grande problema depois das paradas.
    Não tenho dúvida que se ao lado de Leclerc fosse um piloto menos badalado a Ferrari teria mandado inverter as posições.
    A Ferreri poderia ter feito isso.
    Mas jogaria Vettel em um abismo maior ainda. Tendo que abrir para o estreante da equipe. Acho difícil ele se recuperar de um golpe como este. Em vez disso preferiu manter as posições e recuperar a moral do alemão. Acho que fizeram certo.
    E foi uma boa maneira de devolver o que o monegasco fez em monza na classificação.
    Agora tem o alemão motivado e confiante. E Leclerc mordido.

    Curtido por 2 pessoas

  5. Junior disse:

    O Lecrerc tem razão de ficar puto da vida, sim. É preciso lembrar que no início do campeonato, ele foi obrigado a ceder a posição ao Vettel ao menos em 3 ou 4 oportunidades. A Ferrari fez de tudo pra favorecer o alemão e prejudicou o Lecrerc sim. Várias vezes. Porém, mesmo assim, o Vettel não entregou resultados. O Lecrerc, sim. Então, houve a mudança de “foco” pro Lecrerc que entrega resultados. Podem chamar de piti, podem dizer que o que ele fez na classificação de Monza foi desleal com o Vettel. Mas se ponham no lugar dele. Isso se chama personalidade. Ele já mostrou que tá lá pra vencer e não pra ser escudeiro. E já mostrou que, na pista, bate o Vettel com facilidade em classificações e corridas. Então, antes de quererem moldar a imagem do Lecrerc como desleal e mal perdedor, lembrem que rasteira por rasteira, ele foi muito mais sacaneado pela própria Ferrari em prol do Vettel do que o oposto. E lembrem também que, piloto que quer vencer, precisa se impor e demonstrar personalidade forte. É o que ele tá fazendo. E nem sempre isso vai gerar simpatia…

    Curtido por 1 pessoa

    1. Rodrigo Keke disse:

      Assino embaixo.

      Curtido por 1 pessoa

    2. Kyle Long disse:

      Belo comentário.

      Curtido por 1 pessoa

  6. Bruno Salgado disse:

    Bom dia, Ju. Ótimo texto seu. Eu fiquei com uma dúvida. Porque o Hamilton, depois de adiar tanto a parada, não voltou com pneus médios para tentar algo? Ele não tinha mais pneus disponíveis deste tipo? Não compensaria, pois faria menos voltas até o fim?

    Curtido por 1 pessoa

    1. Ele não tinha um jogo novo de médios e correria o risco de não poder atacar no final, pois os pneus estariam mais desgastados

      Curtido por 1 pessoa

  7. Hermes Leandro disse:

    Ju a qyestao de tudo isso e simples
    Pq nao avisaram Leclerc que Vettel e Verstappen haviam parado e ele tinha que imprimir um ritmo mais forte naquela volta ?

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.