Viajando para o GP

GP dos Estados Unidos ao vivo: Turistando na F1

Ver o GP dos Estados Unidos ao vivo já era uma experiência e tanto com as ótimas opções para quem queria ver a corrida e por ser também um evento que casava a F1 com atrações musicais de primeira (e para vários gostos). Agora, Austin vai ter que se superar para não perder espaço para as recém-chegadas provas em Miami e Las Vegas. Mas não se enganem: mesmo sendo menos famosa, Austin tem o seu apelo.

Compre ingresso para: general admission

E fique na primeira curva. Por conta da fortíssima elevação, que não é tão clara pela TV, é uma das melhores vistas de toda a temporada. E o melhor: por menos de 400 dólares você tem tudo isso e pode ver o show de alguém famoso.

Hospede-se em: Travis Heights

Os preços de hospedagem do GP dos EUA regulam com Mônaco, é sério. Austin não parece ter capacidade hoteleira para a F-1, então a saída é procurar Airbnbs (e há muitos na cidade) ligeiramente fora do centro. Para o GP, também há opções de campings perto da pista. O problema é não curtir a cidade à noite.

Coisas que… só nos EUA: essa mistura de bacon com doce estava sensacional. Aliás, essa loja, The Salty, também pode ser encontrada em Miami

Vá de: transporte da organização

Eles saem do centro e custam 15 dólares ida e volta por dia. Certamente vai sair mais barato que um táxi. A opção de alugar um carro pode ser interessante caso seu voo chegue em um dos grandes aeroportos “ao redor” – o maior deles é Houston, mas Dallas e San Antonio também são opções. A sede do GP também tem um aeroporto, mas os voos costumam ser concorridos e caros.

Não perca: 6th Street

Se você tiver mais de 25 anos muito provavelmente vai se incomodar com os estridentes jovens norte-americanos se amontoando nos bares da 6th Street, mas tente levar na esportiva. E reserve uma noite para o Pete’s Piano Bar.

Combine com: Algum esporte norte-americano

Ver o GP dos Estados Unidos ao vivo também pode significar ver outros esportes

Austin é famosa pelo futebol universitário, mas lembre-se que você estará perto de San Antonio e dá para ver o Spurs jogar na NBA. Um pouco mais longe (3 a 4h de carro) tem Dallas e Houston, com times de basquete, futebol americano e baseball.

Quanto fica ver o GP dos Estados Unidos ao vivo?

Voando para Austin, a passagem sai por 800 dólares, mas pode ser barateada se for para Houston, ainda que isso implique em alugar um carro, já que o sistema de transporte público intermunicipal na área não é dos melhores. Dividindo uma casa, dá para se hospedar por 550 dólares (sim, encontrar hospedagem lá é um problema sério). O ingresso do general admission vai 380 dólares (e esgota rápido) e é bom calcular gastos consideráveis para comer e beber.

Vale a pena ver o GP dos Estados Unidos ao vivo?

Vai ser interessante ver qual será a identidade em que o GP em Austin vai apostar para seguir relevante com as provas nas mais famosas Miami e Las Vegas rivalizando por público. Uma boa saída é ser uma prova mais raiz, com um clima mais de festival, como Spa, e a pista está lá para ajudar isso. Mas raiz do jeito americano, com direito a shows (que nunca são de artistas desconhecidos).

Deixe uma resposta