De desafiante a favorito?

Motor Racing - Formula One World Championship - Singapore Grand Prix - Race Day - Singapore, Singapore

Os posts de estatísticas pós-prova do ano passado inevitavelmente batiam na mesma tecla: quanto tempo vai demorar para Sebastian Vettel chegar nos números de nomes como Ayrton Senna e Michael Schumacher em número de vitórias e poles?

Isso porque parecia fato consumado que Alonso, Hamilton e afins já não eram páreo para o alemão em termos de números. Mas as coisas podem mudar rapidamente na Fórmula 1 e, com a vitória do último domingo, a sétima de uma temporada que teve 14 GPs até aqui, Hamilton chegou ao 29º triunfo na carreira e está a 10 do tetracampeão e a apenas três de Alonso. Já em número de poles, o placar é 45 x 37 a favor do alemão.

Vencendo depois de largar da pole position e, de quebra, ainda fazendo a volta mais rápida, Hamilton fez o quinto hat trick da carreira, empatando com Alonso e ficando a três de Vettel. Mas esse é um recorde duro de ser batido: Schumacher é o líder, com 22. Enquanto isso, Vettel liderou sua primeira volta da temporada em Cingapura. Foi a primeira vez, também de Valtteri Bottas cruzando a linha de chegada fora do top 10 no ano.

Com as duas vitórias seguidas e a virada no campeonato, o inglês é, neste momento, favorito para vencer o campeonato, com uma margem acima de 60% de chance. Porém, como o nível de confiabilidade da Mercedes não dá sinais de que vai melhorar de uma hora para a outra, quebras podem acontecer para qualquer lado – inclusive, em Abi Dhabi – o que abre o campeonato. Um bom exemplo disso é que, antes do GP de Cingapura, a probabilidade do inglês ser bi era na casa dos 10%.

Por outro lado, sabe quantas vezes um piloto perdeu um campeonato depois de ganhar sete provas? Quatro. Prost duas vezes (84, 88), Raikkonen (05) e Schumacher (06).

Hamilton ainda manteve a escrita do GP de Cingapura, que só foi vencido por campeões do mundo (ele, Vettel e Alonso). Indicando que é uma driver’s track, apesar dos vencedores serem apenas 3, eles usaram carros de 5 equipes diferentes.

Curiosamente, na pista da corrida mais longa do ano, a luta pela pole foi a mais apertada, algo particularmente impressionante em uma volta de 105 segundos. Poles foram decididas nos centésimos por cinco vezes neste ano (Malásia, Mônaco, Canadá e Áustria, além de Cingapura), mas uma margem tão pequena não era vista desde o GP da Alemanha de 2010, quando Vettel superou Alonso por dois milésimos.

No meio do pelotão, dois destaques: correndo para salvar sua carreira, Jean-Eric Vergne fez uma prova tão aguerrida que levou duas punições de 5s por ter usado a área de escape para ultrapassar e, mesmo assim, igualou seu melhor resultado na carreira, o sexto lugar. É a melhor posição da Toro Rosso desde os tempos de Vettel.

E a Force India novamente ultrapassou a McLaren. Talvez a Mercedes poderia buscar algumas ficas com seus clientes de motores, pois o time de Hulkenberg e Perez é o único que ainda não abandonou por falhas técnicas.

22 comentários sobre “De desafiante a favorito?

  1. Olá Ju, excelente post.

    Queria fazer uma observação, sobre como a disputa na Mercedes está se desenrolando. O Hamilton tem demonstrado uma ótima habilidade em administrar o desgaste durante a prova, qualidade que não era comum até então no seu estilo de pilotagem. Claro que o equilibrado carro da Mercedes ajuda, mas vejo como um crescimento do piloto. Com Rosberg acontece o contrário, pois é um piloto reconhecido por uma tocada mais suave e conservadora e, neste ano, vem demostrando agressividade para disputar poles com Hamilton.

    Agora uma dúvida, o Vergne não tinha um stop-and-go para pagar no final da prova? Ele pagou ou alguma regra o isentou?

    Curtir

  2. OFUSCADO e meio desapercebido, pasa o fato de que Sorrisos mesmo com seu terceiro lugar, se posicionou mais perto que nunca da ponta do campeonato. É verdade que 60 pontos é bastante para remontar, mas vale a pena salientar que o Australiano com sua RBR foi quem fez mais pontos desde Canada. Se observarmos a sua escalada em termos de porcentagens, a coisa fica mais alerta para a Merdes.
    Considerando o quanto a RBR evolui no final, o baita piloto agresivo e constante que é o Ricciardo, a inestabilidade do Hamilton, e uma Merdes que em clima de sobra já deu merdes em demasiadas oportunidades… e como eu sou patetico mesmo, vou colocar um 10% de chances de que Ricki Sorrisos seja campeão. 55% de chances para Nikole e 45% para a biba Hamilton que em 2007 tinha 90% de chances de ser campeão e ficou numa caixa de brita.
    Sim, a corrida foi medorrenta, e sem duvida o Vergne fez por merecer os aplausos, porém, o Perez volvtou a dar um show aparte. O cara se arrastou por meia volta, teve de trocar o bico, voltou para o fundão do pelotão e remontou com tudo na melhor performance da Noite (o Lewis apenas fez o que pelo menos 10 pilotos desse grid poderiam ter feito com esse equipamento). Já ninguem lembra do que falavam do Hulky. Who?

    Curtir

      1. Mexe Ed!! Mexe mais!!
        Vai ver que para de se notar.
        +LOL

        Mas fora de brincadeira. Não leva o caneco, pelo “Monaco Affair”

        Curtir

    1. Inveja do Hamilton por ele ser mais rico? Rs, não é por ai amigo, ele não tem culpa de ter talento e você ter que ficar no sofá assistindo ele ganhar corridas haha

      Curtir

    2. bruz achei seu comentário brilhante o melhor da corrida foi perez e vergne …o hamiltom Galvão dizia ele tem que abri 29 s… por basta ele abrir 20 e volta atrás com pneu novo e passava todo mundo simples, o carro mas rápido com pneu supermacio no fina,l tanque quase seco e os outros com pneu com 30 voltas a diferença de perfoma seria de 3s pra lá SE LIGA GALVÃO

      Curtir

  3. Uma pena o Vergne não ter (provavelmente) assento para o ano que vem. Num grid que tem Gutiérrez, Chilton e Ericsson, é uma injustiça o francês ficar de fora.

    Pérez tem feito uma temporada de encher os olhos. Vê-se o quanto a Force India tem se beneficiado por ter pilotos de verdade correndo por ela, em que pese um ano não tão brilhante de Hulk.

    A Sauber, por sua vez, padece não só da falta de dinheiro, mas também de pilotos. E pelo jeito o time suíço continuará recorrendo aos pagantes, com a volta do Van Der Garde. Pelo menos deveriam promover a Simona de Silvestro, teríamos uma novidade interessante na temporada de 2015.

    Finalmente, é muito bacana ver o Massa ser tão elogiado depois da prova irretocável que fez no domingo. Massa, que não costuma ser muito gentil com pneus, que é mais agressivo do que cerebral, fez seus pneus durarem 30 voltas. Sinal de amadurecimento… que ele continue crescendo no time do Tio Frank.

    Curtir

  4. Enquanto houver chances matemáticas de Lewis ser campeão, eu acredito.

    Esse negócio de que, agora, Lewis consegue lidar com desgaste de pneus é coisa de quem não entende nada de F-1 e vai na onda do que é dito na transmissão.

    Go, #44!!!!!

    Curtir

  5. E outro dado curioso é que completou nesse GP de Singapura, cem corridas sem uma única vitória do Massa. A última vitória foi no clássico GP Brasil de 2008 onde ele foi campeão por quinze segundos até o Hamilton ultrapassar o Glock e cruzar a linha em quinto. Se ele voltar a vencer um dia ( ou uma noite, caso vença em um desses GPs noturnos ) baterá esse recorde bizarro. O maior intervalo entre uma vitória e outra pertence a Ricardo Patrese, noventa e nove GPs entre uma vitória e outra.

    Curtir

    1. Alex,

      Esse GP Brasil 2008, pra mim, tem um sabor especial porque eu estava lá. Num baita lugar em Interlagos e, claro, torcendo pro Lewis.

      De repente, todo mundo começou a gritar: “Chuva, chuva!!!”. Sabendo que massa não é tudo isso no molhado e que corrida na chuva é loteria, comecei a entrar no coro e pedir chuva. Até hoje não entendi porque quem torcia pro massa estava pedindo por chuva.

      O final todos nós sabemos. Só que a experiência de ir em Interlagos, na área VIP, pra mim,foi demais. Acho que foi nesse ano que, passeando pelos boxes, consegui ficar a uma distância de 50 cm da linda Nicole Pussycat.

      Desculpe Alex, mas foi tão marcante que quando você citou GP Brasil 2008, um filme veio na minha cabeça.

      Curtir

      1. Que isso Power não tem que se desculpar nada, pelo contrário, legal vc ter compartilhado isso com a gente. Deve ter sido realmente um dos teus melhores momentos na vida, daqueles pra lembrar até a morte. Imagina? teu piloto predileto ganha o campeonato mundial nas ultimas curvas da última corrida da temporada e vc lá ao vivo para presenciar, deve ter sido incrível pra vc.

        Espero que vc estando lá ao vivo tenha dado valor para a forma como o Massa encarou a derrota com dignidade de um verdadeiro esportista, algo que a gente até comenta por aqui de vez em quando, mas poucos dão valor, pois a maioria acha isso viadagem, bobagem, não cabe no mundo de hj e tal.

        Por isso que o Brasil está na merda que está, porque a sociedade não dá mais valor para algumas coisas básicas. Agora eu que peço desculpa pelo devaneio e ter escapado do assunto principal.

        Abraço

        Curtir

  6. Penso que Hamilton nunca deixou de ser o favorito ao título. Mesmo quando esteve fora da liderança na tabela. Era uma questão de tempo até as coisas se equilibrarem novamente.

    Há alguns meses li uma matéria que apontava Lewis Hamilton como o esportista mais rentável do mundo.

    Confesso que fiquei impressionado com isso e com minha falta de informação a esse respeito. Achei que havia outros atletas mais bem posicionados nesse ranking.

    Digo isso porque fica claro que para a Mercedes, seria muito melhor que o título ficasse nas mãos de Hamilton do que nas de Rosberg. Não estou dizendo que existe uma manipulação nesse sentido mas que os interesses comercias apontam pra esse lado. O que é perfeitamente normal.

    Uma montadora de veículos se tornar a campeã de construtores na F1, e ainda por cima com o atleta mais rentável do planeta, é um sucesso comercial e esportivo de proporções gigantescas.

    Vão vender Mercedes até em marte.

    Curtir

    1. Mas o principal apelo pró-Hamilton, não éh o comercial kro Dé! Más principalmente o seu inegável talento ao volante! Certamente ele éh hoje um dos principais drivers do mundo!

      Curtir

  7. Julianne,

    Talvez no lugar de “corrida mais longa do ano” seria melhor “corrida mais demorada do ano”, afinal todas os GPs percorrem distâncias em torno de 300 km.

    [ ]’s

    Curtir

    1. De que adianta? Se o Hamilton vai lá e recupera a diferença de novo e você fica chorando haha

      Vá prearando o MIMIMIMMIMIMI porque ele vai ganhar mais titulos

      Curtir

  8. Ju, aquela comparaçãozinha básica entre 2013 e 2014, já que no começo da temporada, os arautos do apocalipse estavam decretando o fim do mundo, por essa F1 ser 5 seg mais lenta e coisa e tal. Nos circuitos de alta a coisa está pau a pau, já nos travados, como Singapura, é que a diferença aumenta:

    Pole 2013 Vet 1:42.841 / 2014 Ham 1:45.681 difereça 2.840 s

    Volta mais rápida 2013 Vet 1:48.574 / 2014 Ham 1:50.417 diferença 1.843 s

    Speed Trap 2013 Rosberg 297,4 Km/h / 2014 Massa 306,2 Km/h

    Acho que mais duas temporadas e esses carros V6 com menos downforce já irão superar os V8. O desafio continua ainda em superar os tempos dos V10 de 2004/2005, mas um dia consegue.

    Curtir

  9. Engraçado, os recordistas sempre tiveram os melhores carros durante boa parte da carreira, valorizo mais o que o Senna fez na McLaren em 93, o que o Montoya fez pela Williams no início do século, o que o Alonso vem fazendo pela Ferrari…
    O destaque de Cingapura foi o Pérez, saiu de último e veio passando por todos…
    É o piloto mais arrojado da F1 atual…
    Vettel e Hamilton são enganações, só ganham quando estão em carros seguros, não conseguem tirar algo mais do mesmo, o Vettel não arrisca, e o Hamilton quando faz, não termina a prova, lembrando seu compatriota Mansell no início na Williams…

    Curtir

    1. o que o Alonso vem fazendo pela Ferrari, com a equipe toda a seu favor? esqueça o Alonso, é apenas um piloto burocrático e super regular, ele é bom é, mas é muita mídia, todo ano aparece a mesma historia em 2013 iria para a red bull, hoje ele vai para a Mercedes, amanhã qualquer equipe que estiver na ponta. quanto ao Hamilton tudo que ele fez esse ano, largando do fim do pelotão e em uma delas chegando em 3º a frente de seu companheiro de equipe, não sei o que é arriscar. vou falar aqui uma estatística publicada esse ano no “as.com” uma matéria que falava que Liws Hamilton sempre ganhou corrida desde de 2007, ele sempre ganhou corrida todos os anos não importa o carro. mesmo o carro não sendo bom ele ganhou pelo menos um gp. vide 2013 Mercedes devoradora de pneus, mantendo a escrita. se isso é ser enganador ou “talvez delírios da mente de negar a realidade”

      Curtir

      1. É isso mesmo. A Julianne já comentou aqui em uns dos seus posts antigos que o Hamilton sempre ganhou corridas em todos os anos que ele corre na F1.
        Abrcs

        Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s