Uma hora a sorte muda de lado

F1 Grand Prix of Monaco

Uma hora a sorte tem que mudar de lado, repetiu Lewis Hamilton nos últimos meses. Quando o inglês ficou parado na saída do pitlane na classificação, parecia que a reação ficaria para o Canadá. Mas tudo acabou dando certo para o piloto britânico pela primeira vez no ano ao mesmo tempo em que Nico Rosberg teve sua pior prova em meses no que pode se tornar uma virada importante no campeonato.

Não que Hamilton tenha ganhado apenas pela sorte. Tanto seu stint com pneus de chuva, e principalmente o que ele conseguiu fazer com os ultramacios na segunda metade da prova, foram fundamentais para a suada 44ª vitória na carreira. Um momento fundamental foi quando a Mercedes decidiu chamá-lo ao box para colocar os pneus de pista seca na volta 31, sem ter segurança de que o asfalto estava seco o suficiente. “Mas sabíamos que, se alguém poderia conseguir, seria Lewis”, disse Toto Wolff após a prova.

Ainda assim, muito provavelmente todo o risco assumido pelo time não seria suficiente para dar a vitória ao inglês sem o erro bobo da Red Bull na parada de Ricciardo. A chefia da equipe falou em falta de comunicação, mas foi com palavras que o australiano deixou bem clara sua insatisfação. Afinal, pela segunda corrida seguida o time não lhe ajuda – para dizer o mínimo – a concretizar uma chance clara de vitória. A reação do piloto até levantou a suspeita de que seus dias no time poderiam estar contados – e não faltariam equipes interessadas em contar com um dos pilotos mais competentes e com uma enorme popularidade.

Sem conseguir gerar temperatura nos pneus, Nico Rosberg fez uma corrida vexatória, que surpreendeu até ele mesmo. Diferentemente da maré de azar de Hamilton, o alemão tem só a si mesmo para culpar pelo sétimo lugar e, ainda que em termos técnicos o que acontece em Mônaco costume ficar por lá, psicologicamente isso certamente foi um golpe.

Em uma corrida na qual houve muito mais barbeiragem do que o normal – desde Jolyon Palmer e Kimi Raikkonen batendo sozinhos, passando pela manobra estúpida de Daniil Kvyat – o lance que mais deu o que falar na pista foi a batida entre os pilotos da Sauber. O clima dentro da equipe é tenso e uma situação desta era questão de tempo. Para Nasr, foi importante se impor, mas é difícil saber quais os desdobramentos que virão ao longo de uma temporada que deve ser difícil para o brasileiro.

31 comentários sobre “Uma hora a sorte muda de lado

  1. Mais um ano, mais uma batida do Max. 18 anos, ainda tem que aprender muito.

    Ricciardo ate parece que esta de saida da RBull, pois aparentemente nao esta nem ai para falar do time.

    E o Alonso aparece mais uma vez la na frente em condicoes horriveis de comida. Que pena ele nao ter um bom carro para nos entreter.

    Palmer culpou a linha branca pelo acidente. Era so nao ter colocado pneu na linha branca, oh anta.

    Curtir

    1. Caro MIKE,

      DA SÉRIE “SEMPRE É BOM RECORDAR”:
      :
      Abaixo, ALONSO, JÁ na condição de BICAMPEÃO MUNDIAL, bate no FP 3 e de ANTEMÃO arruina sua corrida, posto que o chassi deu perda TOTAL, obrigando-o a usar um novo e assim a largar dos boxes, para fazer uma corrida de recuperação. Vale recordar também que, numa atlética e vitaminada Ferrari, ALONSO teve ainda, nessa corrida de remontada, o percalço de ter topado com um DI GRASSI numa anoréxica e raquítica MANOR, o qual, fazendo das tripas coração, conseguiu segurar ETICAMENTE por 3 voltas o INDISCUTÍVEL E INCONTESTÁVEL espanhol fora-de-série, apesar da gesticulação frenética deste, eis que DI GRASSI defendia LEGITIMAMENTE sua posição. ALONSO logrou terminar apenas em sexto um GP que poderia ter vencido.

      Não existem pilotos invencíveis, não existem pilotos à prova de erros (para começar, são seres humanos antes de tudo), mas existem sim os diferenciados, aqueles que dão colorido e trazem emoções às corridas (componentes básicos da essência do Automobilismo), aqueles que levantam arquibancadas: esses são os IMPRESCINDÍVEIS, e MAX VERSTAPPEN sem a menor dúvida já é um deles, quem acompanhou ou pesquisar o que MAX fez no kart, o que disseram os especialistas àquela época, não pode chegar à outra conclusão que não essa. HAMILTON, RICCIARDO, ALONSO, PÉREZ e VETTEL, desse atual grid, pela sua garra, são pilotos que engrandecem (e engrandeceriam em qualquer época) a Fórmula 1, conquistando corações e mentes, assim como no Passado fizeram os acrobatas RINDT e PETERSON, os espetaculares GILLES VILLENEUVE, TAZIO NUVOLARI (na pré-Fórmula 1), ALBERTO ASCARI, STIRLING MOSS, CLARK, MANSELL, PIQUET e SENNA. Títulos, estatísticas e números NEM SEMPRE refletem a dimensão de um piloto. Oxalá HAMILTON, RICCIARDO, ALONSO, VETTEL, MAX e PÉREZ nunca mudem seu estilo de pilotar.

      Mas, caro MIKE, CONCORDO COM VOCÊ que MAX VERSTAPPEN está AINDA APRENDENDO, porém quantos pilotos conseguiram fazer seu aprendizado AUTOMOBILÍSTICO (veja bem, eu disse AUTOMOBILÍSTICO) já na F 1? E com tão pouca idade? Imagine quando ele tiver aprendido tudo! No entanto – é sempre bom lembrar – que mesmo quando tiver completado seu aprendizado, MAX como QUALQUER OUTRO, ainda assim estará sujeito a erros, pois erros são inerentes à condição humana. Infelizmente o sistema do Blog não aceita mais de um link por vez, todavia basta uma simples consulta no Youtube para ver que ALONSO, HAMILTON, VETTEL, RAIKKONEN e até o GRANDÍSSIMO AYRTON SENNA TAMBÉM já bateram BISONHAMENTE em Mônaco – alguns até mais de uma vez. PORTANTO, NORMAL a batida de MAX, SÓ BATE QUEM ANDA FORTE (à exceção dos fracotes, como vimos alguns exemplos nesta edição de 2016 de Mônaco).

      ALEXANDRE, a propósito dos lampejos de PÉREZ (para mim THE STAR OF THE RACE, não obstante a estupenda atuação de ALONSO), vale a pena lembrar o grandíssimo HERMANN HESSE, que em seu belo livro GERTRUD conceituou que UM LAMPEJO ÀS VEZES ILUMINA ANOS DE ESCURIDÃO!

      Curtir

      1. E parece que a ”grande midia” ja esta especulando que o Ricciardo tem mais que cair fora da RBull porque tem crianca nova na casa e ele ja esta feio.

        Max tera muito sucesso, sem duvida, mas por que sera que a RB ja esta fritando o Ricciardo? Assunto para quem gosta de uma conspiracao nao faltara.

        Aucam, eu lamento mesmo que um genio historico como o Alonso nao tenha um carro a altura das possibilidades dele.

        E falando em genios… uma vez Alonso falou que Vettel nao era um marciano. Faz um tempinho que Sebastian nao pilota mais que o carro permite. Sabe quando o cara chega 3, 4… posicoes a mais do que o potencial do carro?

        E o Massa que pode ser aposentado num ano em que ate esta piltando bem a carroca que tem e ainda por cima pode ferrar com o Bottas?

        SDS

        Curtir

    2. É verdade, MIKE, também lamento que ALONSO não tenha – já há bastante tempo – um carro verdadeiramente à altura de seu inquestionável e imenso talento. A Fórmula 1, no entanto, por muitos motivos, entre os quais os hoje indispensáveis interesses comerciais, sempre é cruel conosco que amamos o Automobilismo, privando-nos de VERDADEIROS confrontos diretos em condições igualitárias entre os que são VERDADEIRAMENTE os expoentes do Esporte.

      Sobre a Ferrari, às vezes me pergunto se não deveríamos estar procurando entre aqueles que ainda correm no kart o piloto que a levará novamente a um título mundial (não por culpa de Vettel, que fique bem claro isso, mas talvez pelo clima de ansiedade e desencontros técnicos que domina a tradicional equipe – e digo isso porque a última grande seca da Rossa durou 20 anos!). Talvez eu esteja sendo um tanto pessimista, mas quando penso que se livraram de Aldo Costa e agora já houve rumores de que até Arrivabene já estaria sendo cogitado para andar na prancha. . . isso mostra o clima de ansiedade e de desencontros que normalmente permeia a equipe. Li por aí uma vez que quando Aldo Costa saiu da Ferrari levou com ele para a Mercedes 60 técnicos/engenheiros italianos altamente gabaritados – pelo visto, foram recrutados dentre a nata italiana. Então, não seria por falta de talentos na área técnica. Alisson é muito competente, mas um Ross Brawn faz falta ali, novamente. Então, dito isto, que pena TAMBÉM que Vettel não tenha um carro à sua altura!.

      Quanto a RICCIARDO, nem tenho dúvida de que já podemos transformar esse TRIO DE OURO em QUARTETO DE OURO. RICCIARDO e VERSTAPPEN, com essa nova e vitaminada PU RENAULT, CERTAMENTE vão causar muitas dores de cabeça à Mercedes, AINDA NESTA TEMPORADA, embora eu acredite que a virada de HAMILTON rumo ao TETRA já tenha começado a partir deste GP de Mônaco. LEWIS já vinha – ainda nos treinos – cantando essa pedra de que os ULTRAMACIOS eram bem mais duros do que ele esperava (e até desejava). Não apenas demonstrou esse fato, como, mais uma vez, pôs por terra a falácia repetida por seus detratores, de que não sabe cuidar do carro como um todo.

      Um abraço!

      Curtir

      1. Estimadissimo Aucam, sera que ainda se lembra de mim, nao sei quanto a vc mas sempre me diverti muito com nossos debates e sempre concordei com vc quanto ao seu famoso trio de ouro, todavia em 2014 eu ja havia te alertado que Ricciardo na minha humilde opiniao havia sido o melhor piloto daquela temporada com sobras, e agora estou aqui novamente para dizer ao amigo que acredito que Daniel Ricciardo hoje eh o melhor piloto do grid, apesar de estar nitido que existe um equilibrio muito grande entre os genios que la estao . Confesso que sua empolgacao com Max me surpreendeu, me parece um excelente piloto, mas acredito que sera batido ate com grande facilidade por Ricciardo e isso pra carreira de um piloto que esta sendo apontado como o novo Senna pode acabar sendo devastador para sua carreira, por hora correram duas corridas apenas e temos uma falsa impressao de equilibrio, todavia tenho certeza que o jovem piloto vai ser aniquilado pelo melhor piloto do mundo na minha opiniao meu prezado amigo Aucam

        Curtir

      2. Grande HERMES LEANDRO! Como não me lembraria de você? Claro que lembro! Antes de mais nada: você está acompanhando a MOTO GP este ano? Sei que greves solitárias são absolutamente SURREAIS, hahahaha, mas eu ESTOU EM GREVE contra a MOTO GP, hahahaha!!! A categoria está se lixando pra mim, mas eu também estou me lixando pra ela. . . Passei o tempo todo citando VALENTINO e MARQUEZ como EXEMPLOS de esportistas e os dois aprontam uma daquelas!!! Pra mim, o campeonato ficou com um gosto de empulhação, até pela solução dada para a prova final. Apesar de gostar também de motociclismo (apenas de velocidade) e de estar sempre ligado nos acontecimentos desse esporte ao longo de anos, perdi (pelo menos momentaneamente) o velho entusiasmo que tinha, mas que nunca chegou perto de ser a paixão INCONDICIONAL que tenho pelo Automobilismo.

        Quanto a RICCIARDO, meu caro HERMES LEANDRO, eu nunca imaginei que aquele CLARK KENT da HRT iria se transformar no SUPERMAN da RED BULL. Confesso que até à sua ida para a RED BULL nunca botei fé nele, mas até apreciava a sua sinceridade, quando, por exemplo, confessou sem rodeios que a culpa de sua batida (após ter feito bons treinos) em Cingapura em 2013 fora unicamente dele – é que pilotos geralmente nunca se culpam, rsrs. . . No entanto, eu não sou de tapar o Sol com a peneira, de negar evidências, e quando vejo uma performance realmente diferenciada (pode até ser numa única prova e nem precisa ser uma vitória), eu RECONHEÇO e PERCEBO o valor de um piloto, e com RICCIARDO isso ocorreu com aquela demonstração de força que ele deu na RED BULL em 2014, vencendo com autoridade 3 GPs e impondo-se a um piloto TETRACAMPEÃO MUNDIAL que também ESTÁ FORA DE QUALQUER QUESTIONAMENTO. Não foi pouca coisa o RICCIARDO fez.

        Com décadas e décadas de “janela” como aficionado por Automobilismo, posso dizer que dá pra desenvolver pelo menos uma INTUIÇÃO para identificar quem é bom ou não. Um pouco desse descrédito inicial que eu tinha por RICCIARDO deve-se ao fato de eu nunca tê-lo visto pilotar pessoalmente, de perto. A TV mascara ou não mostra muitos detalhes, ainda que nos esforcemos para percebê-los.

        O QUE VALE MESMO PARA AVALIAR UM PILOTO É VERMOS DE PERTO, AO VIVO, A SUA ATUAÇÃO NA PISTA. Nessa situação, pode-se avaliar melhor o quanto ele deixa de frear ou freia mais em cima ou dentro de uma curva, quem volta mais rapidamente ao acelerador, quem se perde menos no traçado, quem descreve as melhores linhas, quem tem mais precisão repetida de trajetória, quem “telegrafa”, quem faz “flat”, é todo um conjunto de detalhes que só mesmo ao vivo e de perto podem nos proporcionar um julgamento mais preciso. Pela minha idade e pela minha paixão pelo Automobilismo, tive o privilégio de acompanhar vendo de perto, NAS PISTAS, desde o início de suas carreiras, ainda aqui no Brasil, os três grandes ases brasileiros – EMERSON, PIQUET e SENNA (este ainda no kart). Como eram diferenciados! Mesmo apenas como um simples AFICIONADO, aprendi muito com eles.

        Por isso FICO PASMO quando jornalistas especializados, que não apenas acompanham TUDO a partir dos bastidores, mas também DE PERTO – DAS PISTAS – fazem incontáveis vezes avaliações completamente EQUIVOCADAS sobre pilotos ou mesmo DEMONSTRAM SURPRESA quando um piloto tem um bom resultado ou mostra qualidades com uma performance diferenciada. Francamente!. . .

        Com o peso da idade, não frequento um autódromo já há alguns anos, por isso tento descobrir as coisas pela TV mesmo e lendo boas análises de BONS PROFISSIONAIS. Acompanhar com assiduidade os acontecimentos das categorias de base também ajuda nessa intuição para imaginarmos quem vai ter sucesso ou não em categorias mais velozes, mais pesadas, mais potentes e com competidores mais qualificados, mais peneirados. Mas ainda assim, SEM VERMOS DE PERTO NA PISTA, surpresas ocorrem, como RICCIARDO, LAUDA e SCHUMACHER, por exemplo, que não ganharam tudo nos acessos e no entanto demonstraram todo o seu talento na categoria TOPO, a Fórmula 1. E o contrário também, vide o exemplo mais estridente – HULKENBERG (que ganhou tudo nas bases), e que na F 1 até hoje patina em busca de uma afirmação. Cada piloto tem o seu limite – para uns é a GP 2, para outros, nem isso. Por outro lado, alguns desabrocham suas qualidades somente quando estão no topo, provando-se campeões ou potenciais campeões mundiais (e aqui vale destacar que TÍTULO não é tudo, NEM SEMPRE DEMONSTRA TODA A GRANDEZA DE UM PILOTO, a História da F 1 é pródiga nesses exemplos, nem preciso citá-los).

        Voltando a RICCIARDO, caro HERMES, eu considero que hoje já podemos dizer que temos não mais um TRIO, MAS UM QUARTETO DE OURO. Por ora, faltam ao australiano APENAS as estatísticas (que certamente as conseguirá) e um motor decente (parece que está a caminho, e bem rápido) para brilhar intensamente na ribalta da Fórmula 1. E o mais curioso, HERMES, é que RICCARDO já perdeu títulos nas categorias inferiores para VALTERI BOTTAS e até para o obscuro MIKHAIL ALESHIN. . . Veja como são as coisas. . . Mas essas coisas só são surpresas para quem não vê um piloto de juntinho da pista, como eu falei lá em cima! Quem vê e sabe avaliar pode intuir que o estrelato é questão de tempo e circunstância apenas.

        Um forte abraço!

        PS: Quanto a MAX VERSTAPPEN esteja certo que ele vai lutar de igual para igual com RICCIARDO muito em breve – lembre-se que em Mônaco ele estava com uma PU menos potente e por isso mesmo talvez se botando pressão. Até bater (o que é normal, TODOS OS GRANDES CAMPEÕES BATEM) fez belíssimas ultrapassagens. MAX também lutaria de igual para igual contra HAMILTON, VETTEL e ALONSO caso viesse a ser TEAMMATE de qualquer um dos três). E, como ALONSO, digo-lhe que a extrema velocidade não é a melhor de suas qualidades, MAS TODO UM CONJUNTO DE QUALIDADES E UMA IMENSA HABILIDADE NATURAL.

        Curtir

      3. Prezado amigo Aucam, quanto a moto gp, venho assistindo sim e quero que preste bastante atençao ao nome Brad Binder, pois sera o melhor piloto de todos os tempos, e no ultimo gp Marquez e Lorenzo trocaram de posiçao inumeras vezes nas duas voltas finais, Marquez com uma agressividade inacreditavel, o que somente comprova a tese de Valentino ano passado, se tiver um tempinho da uma olhada no que esse Binder anda aprontando na moto 3, jamais vi um piloto começar sua carreira dessa forma, quanto a Max me perdoe mas nao consigo concordar com o amigo, sei que todos estao empolgadissimos com o jovem piloto e ate gostaria de estar enganado neste caso, mas sinto que ele encontrou o pior companheiro de equipe possivel do grid, pois nem mesmo um piloto com a genialidade de Seb Vettel conseguiu competir com Ricciardo de igual pra igual, inclusive mudando de equipe para evitar uma desmoralizaçao maior, todos que acompanhamos esse esporte a muitos anos sabemos que o principal motivo dessa escolha de Vettel, foi o surpreendente ano de 2014, portanto nao acredito que o jovem Max seja tao bom assim, porem se ele for terei muita satisfaçao em admitir que estive equivocado quanto ao talentoso holandes

        Curtir

      4. Me perdoe novamente Aucam, um amigo havia me dito que Brad Binder era novato na moto 3 e como esse ano ele venceu as ultimas tres corridas sendo uma largando da ultima posiçao acreditei que estava diante de um fenomeno, mas acabei de dar uma olhada na wikipedia e vi que seus bons resultados começarao esse ano, tambem penso igual voce pode ser que Binder pegou a manha de andar forte agora e isso nao o impede de construir uma carreira brilhante somente pela ausencia de precocidade, voce mesmo sempre faz questao de repetir isso quanto a Ricciardo, o chamando divertidamente de Clark Kent ne

        Curtir

      5. OK, caro HERMES LEANDRO. Como diz o velho provérbio, “o Tempo é o Senhor da Razão”. Não cabe a mim, e sim a MAX VERSTAPPEN – com as suas atuações nas pistas – convencer você, e eu tenho certeza de que ele o fará ainda nesta temporada, chegando várias vezes à frente de RICCIARDO. Até acho que o australiano possa ter mais extrema velocidade pura do que VERSTAPPEN, mas, tirando o quesito “experiência automobilística”, os dois se equivalem no conjunto de qualidades. O tempo dirá quem é o mais talentoso dos dois. ATENTE BEM, por exemplo, que apesar de sua tocada extremamente arrojada, MAX consegue ter um estilo de pilotagem MAIS SUAVE do que RICCIARDO, e já provou isso na Espanha ao demonstrar saber PRESERVAR MELHOR que RICCIARDO os pneus de seu carro. ATENTE TAMBÉM que os feitos de MAX no início de sua carreira até aqui, não somente foram obtidos em tempo muitíssimo mais curto, COMO FORAM TAMBÉM MAIS IMPRESSIONANTES DO QUE OS DE RICCIARDO.

        E MAX SEMPRE vem em CRESCIMENTO ao trocar para categorias mais velozes, mais potentes, mais pesadas, com adversários muito mais qualificados, indo como um RAIO do kart à Fórmula 1.

        Estreando vencendo (na RED BULL) com um carro com o qual (ao contrário de RICCIARDO) ele não tinha a menor intimidade, o holandês provou que “pega na UNHA o pião” em qualquer SITUAÇÃO NOVA. Tudo isso é IMPORTANTÍSSIMO para se detectar QUEM REALMENTE tem talento. Sua vitória na ESPANHA foi merecida pela forma extraordinária como cuidou de seus pneus (o australiano NEM TANTO). RICCIARDO chegou à Fórmula 1 já com uma GRANDE bagagem no automobilismo, ao contrário de MAX, que teve apenas um ano de F 3 Europeia. A CORRETA AVALIAÇÃO DE UM PILOTO TEM QUE SER FEITA EM CIMA DE TODOS OS DETALHES.

        MAX bateu em Mônaco? Veja o exemplo que dei lá em cima com um ALONSO já bicampeão mundial (há muitíssimos outros, COM TODOS OS PILOTOS, Senna inclusive). Até o momento de bater (sozinho) em Mônaco VERSTAPPEN fez extraordinárias e decididas ultrapassagens, em dimensões milimétricas como tem que ser em Mônaco, sobre muitos adversários, ao fazer sua corrida de recuperação.

        Não existem pilotos invencíveis, mas há OS DIFERENCIADOS, e MAX é um deles, sem a menor dúvida. Veja, por exemplo, O QUE É UM PILOTO NITIDAMENTE DIFERENCIADO: quando os engenheiros da Mercedes se surpreenderam com a velocidade da RED BULL de RICCIARDO (com um motor MAIS potente que o de MAX), chegaram à conclusão que a ÚNICA maneira de MINIMIZAR esse fato seria conferir MAIS OVERSTEER ao set up dos dois Mercedes, para ajudá-los a “rodar”, CONTORNAR melhor as curvas (como se faz no rally). HAMILTON, confiante em seu “taco”, tirou isso de letra, num palco complicado e extremo: pista molhada e a necessidade de passar tirando “um fino”, um “cabelímetro” dos guard-rails. Com isso, HAMILTON APROVEITOU TOTALMENTE o OVERSTEER aumentado no set up do carro, conseguindo GERAR TEMPERATURA ADEQUADA AOS SEUS PNEUS, E POR EFEITO DOMINÓ, NOS FREIOS. Já ROSBERG ficou INSEGURO, não confiando em seu próprio “taco” para ir a extremos “extremíssimos” como é necessário em Mônaco, gerando a catástrofe que se abateu sobre seu desempenho, sem conseguir aquecer adequadamente pneus e freios. Eis aí, portanto, na prática, a tradução do que significa DIFERENCIADO.

        MAX VERSTAPPEN não é um novo SENNA. MAX VERSTAPPEN é e sempre será MAX VERSTAPPEN, assim como SENNA não foi um novo CLARK.

        CADA PILOTO É ÚNICO EM SUAS CARACTERÍSTICAS, em sua tocada, em sua sorte, em estar no lugar certo no momento certo, em contar com um equipamento de ponta e com uma equipe competitiva, em seu respectivo tempo, em sua realidade. Por isso, se pensarmos bem, SEM PAIXÕES, NÃO PODEMOS DIZER QUE EXISTIU UM MELHOR PILOTO DE TODOS OS TEMPOS. Eu, do alto da minha PETULANTE INSIGNIFICÂNCIA, não acho que se possa afirmar isso SOBRE QUALQUER GÊNIO, do Presente ou do Passado. E números e estatísticas são muito relativos, ALONSO está aí para provar isso. O mesmo se pode dizer de SENNA (quantos títulos teria, se não tivesse partido prematuramente?), de RINDT e até – num exercício de imaginação, posto que também ele não teve tempo – de STEFAN BELLOF.

        Aqui nessas considerações NÃO ESTOU DIMINUINDO NEM MENOSPREZANDO RICCIARDO, que também está se revelando um piloto DIFERENCIADO. Estou apenas analisando MAX VERSTAPPEN e fazendo algumas comparações que ajudam nessa avaliação.

        Caro HERMES, não estou acompanhando a MOTO GP, pelo menos enquanto NÃO PASSAR a percepção que eu tenho de empulhação com o que ocorreu no ano passado. Mas se esse piloto que você citou for bom, ele certamente estará nas manchetes e eu me lembrarei da sua previsão sobre ele.

        Por último, dê uma olhada sobre o que BERGER acabou de declarar sobre MAX VERSTAPPEN:
        http://www.planetf1.com/news/verstappen-can-take-on-mercedes/

        Em outra oportunidade, farei uma apreciação sobre a atuação de MAX no kart, onde ele passou com a força de um furacão. Como eu consulto “boletins meteorológicos”, hahahahaha, eu já sabia da existência e da vinda desse furacão para o território da Fórmula 1, hahahaha!!!!!!

        Grande abraço!

        Curtir

  2. Era pra ser uma corrida sem muitas emoções, porém a chuva deu o ar da graça e tornou o GP de Mônaco bem movimentado e surpreendente. Hamilton, conduziu impecavelmente domingo e aliado a uma estratégia perfeita da Mercedes que muitos duvidavam que os pneus ultramacio chegassem ao final. Cominou levando a vitória mais que merecida. Igualmente Daniel Ricciardo, fez uma grande corrida, caso sua equipe não tivesse dado aquele vacilo na troca dos pneus, momento que houve uma pequena indecisão, teria conseguido a vitória. E palmas para o mexicano, Pérez, de vez em quando ele sempre cata um terceiro lugar quando há oportunidade. Coisa que seu companheiro de equipe não sabe a muito tempo o que é.

    Curtir

  3. Este ano estamos bem. Outra corrida que contraria as espectativas e é bem movimentada. Vamos fazer a dança da chuva para as próximas etapas. Chuva que lavou a maré de azar do Hamilton. Ano passado a Mercedes atrapalhou e neste a RedBull ajudou. Tá pintando o tetra. O Ricardão ficou puto, será que tem chance de ir para a Mercedes? Vão disputar com os pneus coloridos da Willians o troféu pior pitstop da história. A Ferrari, de novo, um pouco abaixo do esperado, está virando a equipe do quase. Mas o Vettel deu azar de ficar preso atrás do Massa. E o Kimi, outra batida bisonha.
    Caro Gerônimo, o Hulkemberg nunca chegou aí pódio, por isso já foi chamado Whokemberg. Quem faz as honras é sempre o Perez.

    Curtir

  4. Tô ansioso para o Gp do Canadá! Quero ver como vai se comportar esta “Unidade-de-Potência” da Renault lá em Montreal. A minha torcida éh que a Renault possa esta se aproximando em termos de performance aos da Mercedes porque carro a Red Bull éh talvez a melhor. Só falta constatar se o “motor” vai vingar e vir pra cima das Mercedes. Espero que haja uma briga entre Mercedes e Red Bull e, por que não, também as Ferrari que creio que andarão bem no Canadá. E éh melhor o Rosberguinho botar as barbas-de-molho porque o Seu-Amilton virá babando pra esta prova!

    Curtir

    1. Caro BRAZ, eu acredito piamente que HAMILTON já deu início à virada rumo ao Tetra, mas também acredito que vamos ter muitas emoções no restante desta temporada, e quero ver os que vão levantar primeiro e os que não vão levantar o pé direito no trecho estreito do Circuito de BAKU. . .

      Curtir

      1. Pois éh kríssimo AUCAM! Estes kras da FIA enchem-o-saco em achar defeitos quando o GP éh em Interlagos e fecharam-os-olhos para aquela aberração ou Beco-da-Laura (rsrsrs) dessa longínqua Baku… Quanto ao campeonato creio que a Red Bull trará mais surpresas! Tô na total expectativa para o GP do Canadá. Acho eu que a Ferrari também poderá dar o ar-da-graça. Gostaria de ver além do Rosberg e Hamilton o Ricciardo lutando pelo título mundial – isto se a Red Bull deixar.

        Curtir

  5. Poucas vezes um GP de Mônaco não deu sono, e este ano estava incrível! Não acreditei em um erro tão bisonho da RedBull, achei que era pegadinha da equipe, simplesmente destruíram a corrida do Ricciardo.
    Uma pena que Mônaco não sirva exatamente de parâmetro, mas me parece que as atualizações da Renault vão dar liga!
    Não tinha pensado na questão por esse ponto de vista Chrystian, mas depois da besteira que o Hamilton fez na outra corrida a Mercedes deve ter posto regras bem rígidas com relação a posições de pista.
    Abraços pros meninos e bjs pras meninas!

    Curtir

  6. Aucam, concordo. Com seus lampejos o Perez já fez bem mais que o Hulk. Mas pena que são só lampejos, queria que fosse uma luz continua.

    Curtir

  7. Jú, com os ultramacios durando mais de metade de uma prova, por mais que a temperatura seja baixa etc, não demonstra que a F1 está sendo muito conservadora na escolha dos pneus, digo isso pois se o Hamilton fez isso com esses pneus com os pneus duros ele daria umas 200 voltas…rs
    Sei que o caso do estouro dos pneus deixou a Pirelli na defensiva, mas o que você acha?

    Curtir

    1. Conversei com o Mario Isola da Pirelli antes da corrida e ele disse que para fazer mais paradas em Mônaco, só se pudessem convencer o príncipe a colocar um asfalto de circuito de verdade. Isso, associado às baixas forças às quais os pneus são submetidos, fazem com que até um pneu feito especialmente para Mônaco, como o Isola apontou, consiga dar muitas voltas. Lembre-se que até em 2012, quando os pneus eram os mais agressivos, os pilotos fizeram um pit stop em Mônaco.

      Curtir

  8. Espero que a sorte tbm apareça pelos lados de Maranello. Seria incrível ver Mercedes, Ferrari e Red Bull brigando pelas primeiras posições. Sei não, mas acho que a Red Bull já não está ligando muito pro Ricardo. Eu sempre achei o Rosberg fraco. Como assim abrir passagem pro principal adversário? Coisa de segundo piloto.

    Curtir

    1. Prezada, DANIELA, o motivo de o Rosberg da passagem a Lewis foi circunstancial, os pneus não atingiram uma temperatura ideal, o que o fez perder rendimento. Hamilton, neste momento está bem mais rápido e Daniel estava se distanciando dos dois. diante deste fato a Mercedes deu a ordem de ultrapassagem. penso que isso, abre um precedente que deixará Lewis num dilema, caso ele se encontra na mesma situação. Ele deixaria o Rosberg passar ? penso que não.
      acontece é que Nico tem um contrato para renovar com a Mercedes e isso pesou na sua decisão, visto que ele mesmo revelou que foi dolorido, tal atitude.

      Curtir

      1. Caro GERÔNIMO, SOMENTE PARA COPLEMENTAR suas excelentes explicações, quando a Mercedes se viu verdadeiramente SURPREENDIDA pela maior velocidade da RED BULL de Ricciardo, seus engenheiros chegaram à conclusão que SÓ PODERIAM MINIMIZAR essa vantagem da Red Bull dando mais “OVERSTEER” aos DOIS carros prateados.

        Na pista molhada, esse fato causou insegurança e desconforto a ROSBERG por seu estilo de tocada, enquanto em nada afetou a segurança e a confiança de HAMILTON, que em situações extremas (no caso o piso molhado e os guard-rails muito próximos) tem NATURALMENTE mais arrojo e audácia que ROSBERG. Então, ROSBERG não conseguia aquecer e manter a temperatura de seus pneus, e numa sequência dominó, seus freios também não conseguiam um aquecimento ideal, aumentando a falta de confiança de NICO. HAMILTON, ao contrário, por essas ARTES que só os pilotos GENIAIS tem, gerenciou muitíssimo bem a situação e conseguia manter-se o tempo todo na janela ideal para o funcionamento adequado de seus pneus e freios.

        Andrew Benson enfatiza que situações assim evidenciam bem a diferença entre um grande piloto (ROSBERG) e um DIFERENCIADO (HAMILTON). A catástrofe de ROSBERG em Mônaco tem um somatório de causas semelhantes a um desastre aviação, uma coisa levando à outra (inclusive o tráfego que NICO pegou).

        De qualquer maneira, GERÔNIMO, como você bem observou, a abertura de ROSBERG para HAMILTON passar foi um fato que poderá gerar cobranças a LEWIS no futuro, que daqui para a frente terá de conseguir performances esmagadoras sobre o alemão para que não lhe seja pedida a mesma coisa (inclusive Lewis vai ter inverter a posição do campeonato para que isso não lhe seja provavelmente cobrado mais adiante), e é também um prato cheio para críticas dos detratores de HAMILTON, (como se vê em muitíssimos comentários por aí, até porque Automobilismo envolve quase tantas paixões quanto o Futebol).

        Grande abraço!

        Curtir

      2. Prezado, AUCAM, perfeito que você escreveu. Quanto aos detratores de HAMILTON vejo o comentário de alguns por ai. Porém não levo-os a sério, por que não são imparciais e agem de má-fé, mesmo. Eles são discípulos seguindo seus mestres de domingo na transmissão. Quem sabe tem pesadelos até hoje quando lembram Interlagos, no dia 2 de novembro de 2008.

        Curtir

  9. Aucam,
    Realmente a muito tempo Fernando Alonso não tem um carro à sua altura, desde o ano de 2008 quando retornou à Renault, saindo pela porta dos fundos da McLaren, mas se tem uma coisa que adoro nesse esporte é ver como uma decisão de 7 anos atrás, afeta ainda hoje o espanhol.
    Já li pela internet, de que em 2009 a RedBull chegou a procurar o Fernando, e ele teria dito a Helmut e Horner que iria para a Ferrari por não ter tempo de “fazer uma aposta para o futuro” como seria a RedBull, mas que precisaria de uma “certeza como a Ferrari” para ser campeão logo.
    Os anos de 2010 a 2014, provaram que ele estava errado, vale lembrar também que em 2014 ele tornou a sua situação insustentável na Ferrari, acreditando que RedBull e Mercedes, viriam implorar que ele guiasse para eles, já que o o Webber estava se aposentando e Rosberg negociava a renovação, mais uma vez avaliou mal o mercado (e aqui uso uma máxima de um clube carioca para a RedBull), mas piloto a RedBull faz em casa, enquanto a Mercedes sabia a furada que seria colocar Lewis e Fernando no mesmo carro, aprenderam com os erros da McLaren em 2007.
    É incrível isso nesse esporte, como decisões de um passado distante, influenciam diretamente no presente dos pilotos e equipes.
    Chrystian,
    Se não me engano, nessa ocasião Rosberg disse que “iria se lembrar de cobrar o favor no futuro”, como o desse GP de Mônaco seriam dois, se “ele tiver peito” de cobrar os dois favores da equipe, diria que é o momento ideal pra isso.
    Daniela,
    Acha mesmo que a RedBull vai confiar em Max Verstappen para desenvolver um carro do zero em 2017? No lugar de Horner e Helmut, ligaria e muito para o Daniel Ricciardo!
    Abraços pros meninos e bjs pras meninas!

    Curtir

    1. Meu caro NATO: ALONSO (à exceção de sua primeira estada na Renault) sempre foi o HOMEM CERTO NO LUGAR ERRADO NA HORA ERRADA! Que coisa, hein? Ele rejeitou até uma oferta da HONDA quando ela estava prestes a virar a BRAWN, com o ROSS! Poderia ser ele – ALONSO – o campeão de 2009. . . Mas seus fãs não tem porque ficarem chateados, sempre digo que títulos, números e estatísticas não são tudo. No futuro, será IMPOSSÍVEL falar de HAMILTON e de VETTEL SEM FALAR DE ALONSO.

      Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s