Turistando na F-1, na saúde e na doença com Interlagos

Não serei eu quem vai dar uma de guia turística de São Paulo. Desta vez o turistando é mais um guia de sobrevivência para ver a corrida em Interlagos. Isso porque, a não ser que você tenha a sorte de ganhar um ingresso VIP ou puder bancar as opções que geram mais conforto, o GP do Brasil e daqueles programas de índio que acabam viciando sem conseguirmos explicar por quê.

A pista é maravilhosa, curta e cheia de altos e baixos, gera corridas boas, e mesmo as arquibancadas mais baratas têm vistas que estão entre as melhores da temporada. Dependendo de onde você fica no setor A, é possível ver uns 75% da pista. Nas arquibancadas, você vai encontrar aqueles que torcer para o mesmo piloto que você, aqueles que torcem para o rival, mas será a chance de passar horas conversando sobre aquele assunto que muitas vezes é difícil encaixar em um churrasco com os amigos.

E a lua-de-mel para por aí. De resto, é preciso um pouco de espírito guerreiro.

Primeiro porque é Interlagos e é melhor pensar duas vezes antes de ir de carro. Vai pagar um absurdo para o flanelinha sem ter a certeza de que tudo estará bem, ou adotar a estratégia de parar no shopping e ir de ônibus até a pista. Dependendo de onde você vem, melhor é mesmo pegar o trem.

Segundo porque nas tais arquibancadas mais baratas e com boa visão da pista – especialmente a A – a numeração de lugares não é respeitada. É por isso – e pela bagunça também, é verdade – que muita gente dorme na fila ou chega antes dos portões abrirem, geralmente às 7h. Já fiz isso e vivi todas as estações do ano em algumas horas, sentada no concreto e pensando que pagara algumas centenas de reais por aquilo. Não é das situações mais empolgantes.

Assim como não é o ambiente mais agradável para mulheres, sempre alvo de comentários bastante dispensáveis, no mínimo. E curiosamente a agressividade é até maior com as acompanhadas por homens. Mas nós vamos e continuaremos indo mesmo assim.

Mas não é preciso passar a noite na fila, e nos últimos anos têm ficado mais tranquilo. A única questão é que, quanto mais tarde chegar, menor a possibilidade de pegar um bom lugar.

Falando em quatro estações, é bom se preparar para tudo, da capa de chuva ao protetor solar. E comida, se não estiver afim de gastar mais uma nota dentro do Autódromo. Isopores, garrafas e latinhas, contudo, não entram.

É curioso como essas “brasilidades” fazem de Interlagos um GP raíz mesmo sem o perrengue de se acampar no meio do barro, como muitos torcedores fazem em provas europeias. Afinal, como diria José Simão, aqui nóis sofre mas nóis goza.

RAIO-X

Preços: São Paulo já não é uma cidade barata e não são muitos os hoteis na região do autódromo, o que também inflaciona os preços. A maioria dos profissionais da F-1 fica na região da Berrini, o que pode ser uma boa opção para deslocar-se até o autódromo, mas não para curtir a cidade – e acredito que seja por isso que boa parte do paddock não goste da etapa paulistana, pois só veem trânsito pela frente. E os ingressos também estão entre os mais caros no ano. Para quem tem que viajar para ir ao GP Brasil, talvez valha a pena estudar a possibilidade de ir para alguma etapa fora do país, casando com outros passeios.

Melhor época: A F-1 descobriu a duras penas que chove bastante no começo do ano em SP. E no inverno pode ser que fique muito seco, o que não é nada agradável em uma cidade tão poluída. E os paulistanos vão dizer que a melhor época para visitar a cidade é em algum feriado!

Por que vale a pena? Tem seus perrengues, mas é o GP do Brasil! E não sabemos por quanto tempo vai durar…

15 comentários sobre “Turistando na F-1, na saúde e na doença com Interlagos

  1. Entao, tirando a pista o GP do Brasil eh o pior do ano ou ha piores ?

    Boa sorte, eu fui seguido de 1994 a 2004 e pelo post nada mudou, talvez tenha piorado.

    Curtir

  2. Só assisti um treino livre de F1 em 91 mas fui a varias corridas na época que o automobilismo nacional dava gosto, meu lugar era em frente ao Laranja, o ambiente, pelo menos nas provas daqui era familiar mas o desconforto era total, sem dinheiro para F1, com o automobilismo nacional se resumindo a Stock não compensou mais atravessar a cidade.

    Curtir

    1. Spot on! Vi o schumacher (o bom schumacher, nao o irmao prima donna de triste memoria) passando o button por fora ali vendo tudo de frente. Impressiona muito.

      Interlagos raiz era da decada de 70. Voava urina nas costas o dia todo. Trombadinha para todo lado. Acampamento dentro do autodromo.

      Curtir

  3. Estou indo pela segunda vez. Ano passado tomei tanta chuva que acabei doente depois. Fora que a corrida atrasou e tive que sair antes do final para não perder o vôo. Dessa vez pelo menos vou assistir a largada sem safety car. Firme e forte no setor A novamente torcendo pela minha Ferrari ❤️

    Curtir

  4. Vou esperar só até domingo de manhã para cair um ingresso no meu colo……a última vez que isso aconteceu era pra ficar com o pessoal da Mercedes, mas….”tava garoando”!
    Recusei o ingresso de um sobrinho…(estou com 55 e curto tudo isso desde 74). Em 90, 91, 92, 93, 94….tavulá!!!!
    Interlagos chegou a ser minha “igreja”. Quase todo domingo saia de SBC e ia até pra ver o Paulista de Marcas em 86, 87…Mil Milhas………….
    bem, só até domingo de manhã, tá?!

    Curtir

  5. Eu vou para o meu quarto GP do Brasil este ano, sempre no setor G, chegando às 6h. O comentário mais negativo fica com certeza pra recepção das mulheres nas arquibancadas, que se repetiu todas as vezes que fui. É um show de comentários desnecessários e agressivos, além de um caminhão de “elas adoram ser chamadas de ‘insira seu comentário aqui’, mulher é tudo assim.” Ano passado fiquei em um albergue e conheci uma garota extremamente petrolhead, capaz que vê até campeonato infantil de bate-bate. E fiquei pensando como é difícil ser uma fã de automobilismo, já que qualquer coisa é “mulher não entende nada de carro”. Fica aqui então os parabéns (e as desculpas, em nome dos homens) a todas aquelas que passam por cima de tudo isso pra acompanhar (ou trabalhar com) a nossa querida F1.

    Curtir

  6. Oi Jú,

    Já fui há diversos GPS do Brasil e também vivi muitas das experiências que você relatou.
    Você tem razão em 1000% em relação ao desrespeito as mulheres e por incrível que possa parecer é pior do que em estádio de futebol.
    Em relação ao setor A, a administração também é muito culpada por todo ano ter essa “confusão” em relação aos lugares…Quando você compra um lugar naquela arquibancada você não tem o direito de escolher o lugar, é completamente aleatório, então vc imagina que vá vc e mais uma pessoa o seu ingresso é 800 e do seu amigo 2563, se vc não pode escolher, as pessoas ficam juntas mesmo e vale para quem chega mais cedo, já cansei de enviar emails para a organização sobre isso, porém nunca obtive resposta.
    Em relação aos hotéis agora com o metro da linha amarela que liga ao trem que vai pra interlagos abrem diversas opções de preços e comodidades para quem vai assistir o GP.
    Um abraço

    Curtir

  7. Já vou avisando que vai ser uma bíblia rsrs…

    Comprei ingresso para o setor A, o mesmo de quando fui e o Rubinho fez a pole pela Ferrari, acho que em 2003, naquele ano o Shummy bateu no P3 onde o Hamilton bateu hoje.
    Paguei R830 pelos ingressos e ai começa o problema. A galera aqui no Brasil precisa aprender que não existe essa de MEIA ENTRADA. O que existe é o DOBRO. Para retirar vc tem que ir no shopping Market Place, ou retirar no autódromo, por receio de dar problema fui ao shopping. Primeiro problema. Pelo menos no dia em que eu fui ninguém que entregava e VENDIA ingressos falava inglês, o que era um problema para maioria das pessoas que não entendia que só tinha ingresso para o Setor F.

    Para chegar a pista começa outro martírio. Vc desce na estação Autódromo que fica perto da entrada do Portão G, mas fica a uns 40min. andando do portão A. DETALHE, eles interditam as pistas de acesso, mas não disponibilizam ônibus para fazer um trajeto que de ônibus daria 5min. Poderiam cobrar 5 ou 10 reais, seria uma super ajuda e melhoraria muito a coisa, mas não o fazem e não consigo entender por quê. Quando vc acha que chegou eles colocam uns 200 metros daquela grade para a galera entrar do LADO CONTRÁRIO de onde a maioria chega, do TREM.

    Vc entra e pensa agora vou sentar e ver a corrida. Ledo engano. Como a Julianne disse NINGUÉM respeita o número que é dado. Comprei 3 ingressos, para mim, meu sócio e o pai dele. Os ingressos eram sequenciais, mas eram praticamente na arquibancada do setor T reservada ao Santander ( não tinha 40% de ocupação hoje no treino ) Neste lugar seria melhor ver do setor Q e pagar quase a metade. Outro problema, os números foram marcados por alguma pessoa com problema de aprendizagem, Não faz o menor sentido, começa com 1000, 6 degraus para baixo esta em 4000, ai vc vai para a esquerda e tem 10000, não tem indicação clara, apenas no lugar que vc senta, ou seja se chegar um pouco tarde, não vai ter a menor ideia de onde deveria estar. Uma vez que ninguém respeita uma galera fica sentada na muretinha antes de começar os degraus que chamam de arquibancada. Lembra aquelas arquibancadas de campos do interior onde o pedreiro tinha mal de Parkinson e não conseguia deixar o concreto reto?. Esse cara fez as “arquibancadas” de Interlagos. Uma galera fica em PÉ atras dessa galera sentada ( foi o meu caso hoje no treino ) fiquei onde achei que seria melhor, mas fiquei em pé. VC paga R$830 para ficar em pé KKKKKKKKK. Ou chega de madrugada para sentar no degrau mais alto da “arquibancada”.

    Bom, ai vc pensa, blz acabaram os problemas, não amigo. Os banheiros Estão em reformas?? Pegaram uns contêiners e fizeram de banheiro. Colocaram privadas e mictórios, mas PASMEM o mictório fica EXPOSTO pela porta. Eu tirei fotos para provar. VC vai no banheiro e quem esta do lado de fora esta vendo o cara urinar. Lembram do que disseram ao respeito as mulheres? Agora imagina uma galera BÊBADA, indo nestes banheiros. Se colocassem um biombo estaria resolvido o problema, mas ali ninguém quer saber de resolver problema.

    Vamos a comida. Cachorro quente de microondas sem uma mísera gota de molho. AMIGO, São 2 salsichas SECAS, com PÃO SECO e BATATA palha. Tem Hamburquer de microondas por 20 reais, batata frita menor que do McDonalds por R$14 . Cerveja por R$10 a LATA. E se vc não bebe tem um refrigerante “ORGANICO”, achei o gosto horrível, por R$7. Tem espetinho de carne por R$12. Que não deve ter 70gr.

    Como podemos ver a infra estrutura é “MARAVILHOSA”.

    Ai vc pensa, vamos aos CARROS. Ai que vc pensa puta merda eu queria ver CARROS, Não estas enceradeiras. O Barulho na reta até pode dar uma enganadinha bem mixuruca, mas na entrada dos boxes, aquelas reduções que os carros berravam, esgoelavam NÃO EXISTE MAIS. Chega a dar vergonha alheia rsrs. O som é RIDÍCULO para ser bonzinho.

    Quando terminou o treino o lugar parecia um CHIQUEIRO, praticamente todo o lixo consumido foi deixado no mesmo local. Detalhe que não era só brasileiro ali não. E uma porrada de lixeira espalhada atrás das arquibancadas, mas como a galera não consegue sair, ou tem medo de perder o lugar deixa tudo ali no chão.

    O que vale a pena?

    Infelizmente hoje com esse ronco do motor só existe o fato de vc falar que viu a prova in loco.

    A Torcida antes um diferencial, não estava muito empolgada, dividida entre Hamilton e as Ferraris.

    A pista é muito boa, como dito pela Julianne dependendo do lugar vc enxerga uns 75% da pista, mas dependendo de onde estiver no mesmo setor A vc vê 40% nada empolgante por que a cerca fecha sua visão.

    Sou obrigado a dizer que a experiencia NÃO VALE o valor cobrado pela organização. Se fosse metade do preço estaria de bom tamanho pelo TRABALHO que te dão. Se vc tiver grana compre o setor B ou M.

    Coisas simples poderiam melhorar e muito a experiência vivida, como colocar um ônibus circular para facilitar o transporte, colocar uns lanches mais decentes, uma vez que vc fica 5 a 6 horas na pista. Melhorar a infra estrutura do local.

    Ultimo detalhe. Tinha lojas da Ferrari, Red Bull e uma loja com objetos do Senna. Jaqueta da REd Bull R$1000. Não era de COURO e com propaganda a dar com pau. CAMISETA da MERCEDES R300. TODAS com os PATROCINADORES. KKKKKKKKKKKKK. VC paga para fazer propaganda.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s