Turistando na F-1 e o guia da dobradinha mais próxima do Brasil

Eis uma dobradinha relativamente barata de se fazer voando do Brasil e com uma chance (que nos últimos anos se tornou quase uma certeza) de ver uma decisão de título de perto. E de quebra curtir o show de alguma estrela do pop mundial. Há dois anos foi Taylor Swift, ano passado Justin Timberlake, e neste ano Bruno Mars e Britney Spears. E, sim, está incluso no preço do ingresso.

 

GP dos EUA

Compre ingresso para: general admission

E fique na primeira curva. Por conta da fortíssima elevação, que não é tão clara pela TV, é uma das melhores vistas de toda a temporada. E o melhor: por menos de 600 reais você tem tudo isso e pode ver o show do sábado à noite.

 

Hospede-se em: Travis Heights

Os preços de hospedagem do GP dos EUA regulam com Mônaco, é sério. Austin não parece ter capacidade hoteleira para a F-1, então a saída é procurar Airbnbs (e há muitos na cidade) ligeiramente fora do centro.

Vá de: transporte da organização

Eles saem do centro e custam 15 dólares ida e volta por dia. Certamente vai sair mais barato que um táxi. A opção de alugar um carro pode ser interessante caso seu voo chegue em um dos grandes aeroportos “ao redor” – o maior deles é Houston, mas Dallas e San Antonio também são opções, ainda que a 3h de Austin. A sede do GP também tem um aeroporto, mas os voos costumam ser concorridos e caros.

Não perca: 6th Street

Se você tiver mais de 25 anos muito provavelmente vai se incomodar com os estridentes jovens norte-americanos se amontoando nos bares da 6th Street, mas tente levar na esportiva. E reserve uma noite para o Pete’s Piano Bar.

Combine com: Algum jogo norte-americano

Ano passado, conseguimos dar uma escapada para ver um jogo do San Antonio Spurs na segunda-feira depois da corrida. Dos esportes norte-americanos, a NBA é minha predileta, mas nem precisava ser um jogo de basquete: a experiência já vale o ingresso.

Quanto fica?

Voando para Austin, a passagem sai por 3000 reais, mas pode ser barateada se for para Houston, ainda que isso implique em alugar um carro, já que o sistema de transporte público intermunicipal na área não é dos melhores. Dividindo uma casa, dá para se hospedar por 1200 reais. Com o ingresso a 600 e gastos consideráveis para comer e beber, dá para considerar um gasto de 5000 reais.

 

GP do México

Compre ingresso para: Grada 5

Curvas 1, 2 e 3, onde tudo acontece. Cerca de 1900 reais. No estádio, os mais baratos são pouco mais de 1000 reais, mas você ficará mais com o entusiasmo dos mexicanos do que com ação na pista.

Hospede-se em: Zona Rosa

Não é a área mais luxuosa da Cidade do México, está mais para Vila Madalena versão B, mas essa área, que tem esse nome por ser gay friendly, é muito bem conectada e tem muitas opções de bares e restaurantes. E a sensação é de segurança, mesmo à noite.

Vá de: metrô

É a estação mais próxima de um circuito de toda a temporada, mais fácil e barato impossível. E, devido à localização da pista, você vai pegar o contrafluxo das pessoas que estão indo para o centro trabalhar pela manhã, e voltando para casa à noite. Claro que, em uma cidade gigante, o metrô vai estar cheio, mas não será um sofrimento.

Não perca: Dia de los Muertos

A comemoração acontece no dia de finados do Brasil, mas não poderia ser mais diferente. A cidade é tomada por shows de dança e música, pessoas fantasiadas de morte e um clima muito latinoamericano de festa. Por lá, o dia é entendido da seguinte maneira: se não lembramos e celebramos os mortos, suas almas deixarão de existir para sempre. Não precisa acreditar para entrar na festa.

Combine com: Caribe mexicano

Se você pensou Cancun, esqueça. Isla Mujeres, Cozumel, Akumel e, especialmente, a mágica Tulum, são destinos imperdíveis. Praias paradisíacas ao lado de mata tropical virgem – e a possibilidade de visitar pirâmides e outros vestígios de civilizações antigas cuja forma de organização ainda impressiona.

Quanto fica?

É possível pagar 2000 pela passagem ao México. Se a ideia foi fazer a dobradinha, uma solução é comprar ida e volta para a Cidade do México, saindo do Brasil. E outra passagem de ida e volta Cidade do México-Austin ou Houston. Os hoteis são baratos, 700 reais, e a comida, também. Com 4500 dá e sobra para curtir o GP do México. A dobradinha é possível fazer por 8000.

Um comentário sobre “Turistando na F-1 e o guia da dobradinha mais próxima do Brasil

  1. Ju, faltou dizer que o México é um país igualzinho ao Brasil em tudo, sobretudo na riqueza extrema e na pobreza extrema… o que significa que é preciso “tomar um certo cuidado” ao circular pela cidade do México, no tocante aos assaltantes que infelizmente infestam os arredores de estações do metrô, casas de show, faculdades, e claro, em eventos grandes como a Fórmula 1 . Eu ainda não tive oportunidade de viajar à Cidade do México, mas pego emprestada a experiência dos meus colegas que foram para lá e tiveram péssimas experiências nas redondezas do aeroporto, e além disso pegaram um táxi oficial do aeroporto que não era bem “um táxi oficial do aeroporto”, e foram levados para um bairro ermo e convidados gentilmente a fornecerem suas “posses”, incluindo os passaportes. Ou seja, cuidado a todos.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.