Viajando para o GP

GP do Bahrein ao vivo: Turistando na F1

À primeira vista, o Bahrein não é destinos dos mais atrativos do calendário da F1. Entretanto, o esforço para fazer do evento um dos principais chamarizes para o turismo do país faz com que o torcedor se sinta muito bem tratado por lá. Então, quem sabe não vale a pena? Confira tudo o que você precisa saber par ver o GP do Bahrein ao vivo.

Quer saber mais sobre o Bahrein? Confira este post:

Compre o ingresso para: Balteco grandstand

É a arquibancada da reta oposta, interessante porque lá costuma acontecer mais ultrapassagem, apesar do preço relativamente salgado de pouco mais de 300 dólares. E você ainda vê boa parte do miolo. A vantagem de ir no GP do Bahrein, na verdade, é que a prova não atrai um grande público. Por conta disso, o acesso à sessão de autógrafos dos pilotos é um dos mais fáceis da temporada.

É, também, um evento família. Crianças de até 3 anos não pagam e as demais pagam meia entrada. Os shows costumam ser bons e a área destinada aos fãs é bem agradável e cheia de atividades. Há também promoções para compra antecipada.

Hospede-se em: Manama

O circuito fica afastado da cidade, mas muitos hoteis oferecem serviço de transporte gratuito para a pista. Além disso, há muito mais opções de restaurantes na cidade e muitos shopping centers.

Ao norte, na região de Al Hoora, ficam as redes mais caras, mas há opções mais em conta em Juffair, ao leste da capital.

Vá de: minivan

Alugar um carro no Bahrein é barato, até porque o preço do combustível é uma pechincha (algo em torno de R$ 1,30 o litro). Mas o aluguel não é necessário pois alguns hotéis até o traslado para o aeroporto e para a pista inclusos.

Não perca: a pista de kart

Ela está dentro do complexo do circuito – na verdade, são duas, sendo que uma é profissional. Não é barato: sai mais de 63 dólares por 30 minutos, e há a possibilidade de fazer corridas com três baterias para grupos de pelo menos 10 pessoas, por 135 dólares a cabeça. Pelo menos, você pode falar que correu em um autódromo de F1! Ou mais ou menos isso.

Fora a pista, o mercado Bab Al Bahrain é um ótimo lugar para encontrar artesanato local. Vale também fazer um passeio ao deserto, com direito a visita à Árvore da Vida, uma das mais antigas a sobreviver no deserto.

Vale a pena ver ver o GP do Bahrein ao vivo? Aqui a vista da Al Dar Island
E tem também uma pequena ilha com essas cabanas para alugar e mar quentinho (com vista para o oleoduto). Chama Al Dar Island. Foto: Julianne Cerasoli

Combine com: Qatar ou Dubai

A melhor rota do Brasil para o Bahrein é passando pelo Qatar. Isso porque a Qatar Airways conta com stopover grátis. Ou seja, você inclui a capital Doha no roteiro sem pagar a mais por isso. Outra opção é usar a Emirates e fazer um stopover grátis em Dubai.

Quanto fica ver o GP do Bahrein ao vivo?

A passagem de São Paulo a Manama costuma ser salgada, entre 850 e 900 dólares. Dá para se hospedar nos hotéis com serviço de traslado para a pista por 300 e o ingresso custa mais 300. O dinar barenita é uma moeda forte – um dinar são 2.6 dólares – então prepare-se para gastar também com comida.

Aliás, falando em comida…

Vale a pena ver o GP do Bahrein ao vivo?

O GP do Bahrein vem ficando cada vez mais popular entre os europeus porque é uma chance de ir a um lugar quente quando as máximas em casa ainda não chegam nos 15 graus. E o voo não é tão longo. Saindo do Brasil, são duas coisas que perdem o valor.

Por outro lado, se seu roteiro inclui o Oriente Médio, o aeroporto de Manama está bem conectado ao restante da região, e aí começa a fazer mais sentido. É bom lembrar que, embora não seja tão conservador quanto os vizinhos, ainda é um país em que uma mulher ocidental causa estranheza dependendo do ambiente.

3 comentários em “GP do Bahrein ao vivo: Turistando na F1”

Deixe uma resposta