Estratégia do GP de Portugal e por que ele foi uma prova rara na F1

Há basicamente três tipos de corrida em pista seca na F1. Aquelas provas estratégicas, em que você tem de esperar até o final para ter alguma emoção. Aquelas provas (que andam raras na F1) em que o desgaste de pneus não é uma preocupação tão grande e os pilotos podem ter lutar mais francas até que as posições se acomodem respeitando o ritmo de cada carro. E as procissões em que nada disso acontece

Grazie, Ragazzi

Fechando as quatro semanas em que vocês tomaram o comando do blog, separei um texto de outro tema recorrente: respeitem o Seb! Os fãs do alemão estão com as esperanças renovadas com o novo desafio do tetracampeão. Mas nada como aprender com o que (não) deu certo na Ferrari para seguir adiante. E esse foi…

(O SC que matou a) Estratégia do GP de Abu Dhabi

O GP de Abu Dhabi é daqueles que já começam sem muitas saídas para os estrategistas. Perde-se muito tempo na saída dos boxes “enjoada”, a única que em que se passa por um túnel. Mesmo com a zona de DRS dupla, é difícil chegar próximo de um carro cuja performance é parecida. Ao mesmo tempo…

Um GP “brasileiro”

Era para a próxima corrida do calendário ser justamente o GP Brasil, dia 15 de novembro, e curiosamente a prova que acabou ficando para o lugar de Interlagos tem uma forte relação com o país. Muita gente lembra do GP da Turquia como o palco da primeira pole e da primeira de três vitórias seguidas…