Raio-X do GP do Catar e a inversão de valores no meio do pelotão

Foi depois do GP dos Estados Unidos que todos na Mercedes diziam que o campeonato seria definido pela otimização de cada carro para cada pista. Foi uma lição que eles aprenderam a duras penas depois de terem sido batidos pela Red Bull em uma pista na qual acreditavam que teriam uma vantagem, e uma mentalidade que vem marcando a abordagem do time desde então, ajudando a mudar o equilíbrio das forças nesta reta final.

Raio-X do GP dos EUA e a confiança em Verstappen (+ Ferrari x McLaren)

Como isso foi possível? O GP dos Estados Unidos foi mais uma prova com a cara da temporada 2021, decidido nos detalhes. E com outra pilotagem de alto nível dos rivais pelo título.

Vídeo: Ju Responde sobre a decisão de Norris e como Hamilton ganhou a 100ª

Como explicar o erro de Norris em continuar na pista? Por que Verstappen perdeu rendimento no meio da prova? Como Hamilton dificultou tanto sua vida num GP em que era favorito? E o motor do heptacampeão vai chegar até o final da temporada da Fórmula 1 sem que ele leve punição?

Raio-X do GP da Itália e como a McLaren construiu a dobradinha

A McLaren tinha duas vantagens importantes: a configuração de utilização da UP usada pelo time inglês fazia com que o motor recuperasse energia no meio da reta e depois a entrega voltava, e o motor Mercedes esteve mais forte que o Honda em Monza. Para completar, como disse Norris, o carro parecia “ganhar vida” toda vez que estava sem trânsito à frente

Vídeo: Ju Responde sobre mais uma treta de Max e Lewis, a dobradinha da McLaren e o futuro da sprint

Aqui as respostas das perguntas enviadas no instagram @myf1life sobre o GP da Itália e mais um acidente entre Hamilton e Verstappen. Tem a explicação para a punição (e o pitstop ruim) de Verstappen e o que ela significa para a próxima corrida do holandês, por que a McLaren andou tão bem, o que explica a dificuldade em se ultrapassar em Monza e o que a Fórmula 1 planeja fazer com o formato sprint para o ano que vem.

Drops dos bastidores do GP da Itália

Ah, e para quem ficou surpreso com o ótimo desempenho de Daniel Ricciardo neste fim de semana, ele tinha uma explicação bem técnica: “Eu fico mais rápido quando como pizza, e aqui na Itália é pizza todo dia.”

Vídeo: Ju Responde se a Mercedes errou ou não na estratégia (e mais)

Fazendo um pit stop rápido em casa entre os GPs da Holanda e da Itália, tiro as dúvidas enviadas pelo instagram myf1life após o GP da Holanda e falo sobre a estratégia da Mercedes, os méritos de Verstappen, a briga interna na McLaren e na Haas, o rendimento da Ferrari e o que podemos esperar da pista de Zandvoort em 2022.

Vídeo: Ju Responde (ou tenta explicar) o não GP da Bélgica

Respondo às perguntas enviadas no instagram myf1life sobre como foi a cobertura do GP mais curto da história da F1 e explico (ou tento) por que a categoria optou por fazer os pontos valerem mesmo sem uma corrida de verdade.

Um caminho sustentável (de verdade) para a Fórmula 1

Qual é o tamanho do desafio? Nas provas europeias, os caminhões que transportam os equipamentos da F1, se alinhados, formariam uma fila de 5km. São cerca de 300.

Raio-X do GP da França: riscos que a Red Bull tomou, e a Mercedes não

O que escapou às contas da Mercedes foi o quanto que Verstappen ainda tinha em seus pneus velhos (0s6 na inlap), os ganhos no pitlane, com entrada, saída e a parada em si (0s46) e, principalmente, o quão rápido ele conseguiria aquecer o composto duro – algo que surpreendeu o próprio Max: 1s8