Raio-X do GP da Itália e como a McLaren construiu a dobradinha

A McLaren tinha duas vantagens importantes: a configuração de utilização da UP usada pelo time inglês fazia com que o motor recuperasse energia no meio da reta e depois a entrega voltava, e o motor Mercedes esteve mais forte que o Honda em Monza. Para completar, como disse Norris, o carro parecia “ganhar vida” toda vez que estava sem trânsito à frente

Vídeo: Ju Responde sobre mais uma treta de Max e Lewis, a dobradinha da McLaren e o futuro da sprint

Aqui as respostas das perguntas enviadas no instagram @myf1life sobre o GP da Itália e mais um acidente entre Hamilton e Verstappen. Tem a explicação para a punição (e o pitstop ruim) de Verstappen e o que ela significa para a próxima corrida do holandês, por que a McLaren andou tão bem, o que explica a dificuldade em se ultrapassar em Monza e o que a Fórmula 1 planeja fazer com o formato sprint para o ano que vem.

Drops dos bastidores do GP da Itália

Ah, e para quem ficou surpreso com o ótimo desempenho de Daniel Ricciardo neste fim de semana, ele tinha uma explicação bem técnica: “Eu fico mais rápido quando como pizza, e aqui na Itália é pizza todo dia.”

Predominantemente culpado – parte 2

Os lances foram muito similares e totalmente diferentes ao mesmo tempo. Diferentes pelo tipo de curva, já que, em Silverstone, tratava-se de uma curva de alta velocidade e, em Monza, de uma chicane lenta. E semelhantes porque, em ambas as situações, os dois pilotos decidiram não ceder.

Horários, características da pista e tudo sobre o GP da Itália

A abordagem dos estrategistas para a primeira corrida em que a F1 experimentou o formato sprint foi entender a corrida como uma prova só, de 400km, dividida por uma bandeira vermelha após 100km. Curiosamente, eles tiveram uma experiência desse tipo no GP da Itália no ano passado, cuja história mudou justamente após uma interrupção. Na…

Memórias de 10 anos de F1 e uma dobradinha marcante: Spa e Monza

O paddock fica bem longe daquela curva, mas também em uma zona mais alta, então o barulho foi alto e claro. Tinha acabado de fazer uma pergunta quando ouvimos a sequência de estrondos, e Lewis logo procurou o telão, que estava em um lugar que eu não conseguia ver. O que vi, pelos seus olhos, é que não tinha sido nada bom.

“Onde está isso no livro de regras?”

Não passaram despercebidas algumas frases de Lewis Hamilton durante o GP da Rússia, e após a corrida também, demonstrando uma desatenção às regras. Não são, de fato, todos os pilotos que estudam um pouco mais a fundo principalmente as regrinhas que vão mudando de uma prova para a outra, pois dependem do circuito, e os…

Estratégia do GP da Toscana: mergulhando no desconhecido

  Antes da largada do GP da Toscana, as equipes sequer tinham definidas suas estratégias: ainda que a Pirelli garantisse que fazer duas paradas seria a maneira mais veloz de completar a prova, largando com macios e fazendo suas pernas da prova com os médios, certamente alguns tentariam economizar os pneus no começo e ver…

Drops do GP da Toscana pós maratona histórica

  Sebastian Vettel pode estar vivendo um momento difícil na Ferrari, mas parecia uma criança ao lado do F2004 antes de Mick Schumacher dar uma voltinha no circuito de Mugello. Estava atento a todos os detalhes. Disse que só não comprou um desse porque “era muito caro”. Muita gente, de todas as equipes, aliás, correu…

GP da Toscana: Acidentes e estreia estão interligados?

Faz tempo que uma corrida de Fórmula 1 não tem uma prova tão cheia de abandonos por acidentes como foi o GP da Toscana neste domingo, vencido por Lewis Hamilton. Dos oito pilotos que não terminaram a prova, sete bateram, em uma pista que estava fazendo sua estreia na categoria. Mas estariam estes dois elementos…